Publicado em 6/03/2017 as 12:00pm

ICE põe tornozeleira em mãe de filho preso por dirigir sem habilitação

Além de não conseguir obter informações sobre o filho, brasileira saiu do escritório de imigração com tornozeleira.

No final da tarde de quinta-feira (2), a brasileira Maria Nara, moradora da cidade de Framingham (Massachusetts), recebeu uma ligação informando que seu filho Eduardo Loch, de 18 anos, havia se envolvido em um acidente de trânsito no estado de New Hampshire, ao levar um amigo na casa de uma namorada. Prontamente ela foi para o local para saber exatamente o que havia ocorrido e como o Eduardo estava. Para sua surpresa, mesmo o acidente não tendo causado ferimentos em nenhum dos envolvidos, ela foi informada que após constatarem que Eduardo era um imigrante ilegal e que dirigia sem carteira, oficiais do Immigration and Customs Enforcement's (ICE) foram acionados e o levaram preso. Quando ela foi em busca de informações do filho, oficiais da imigração a teriam colocado uma tornozeleira.

Em conversa exclusiva com o Brazilian Times, na tarde do último sábado (02), Nara narrou como tudo aconteceu. “No local do acidente não me falaram nada, disseram que era para eu ir a Manchester no dia seguinte de manhã para obter informações do meu filho. Fui com o meu companheiro, de origem turca, mas que é legal aqui e ele tentou obter informações sobre o Eduardo para mim, mas como ele não é o pai se recusaram a informar dizendo que somente dariam informações do caso para os pais ou irmãos. Ao informar que eu era ilegal e estava com medo de me apresentar, os oficiais disseram a ele que não tinha problema, que eu podia comparecer para saber do meu filho. Ao subir me disseram para ficar tranquila que eu iria sair de lá com o meu filho e me levaram até uma sala, onde eu achei que iria finalmente encontrá-lo. Para minha surpresa eles registraram as minhas digitais, anotaram meu endereço e telefone e me colocaram uma tornozeleira. Eles mentiram para mim...Sai de lá sem o meu filho, sem nenhuma informação sobre ele e com a tornozeleira. Com essa situação aprendi que não devemos confiar nos agentes do ICE”, relatou a mãe emocionada.

No início da tarde de sábado Nara foi a uma consulta com uma advogada de imigração que afirmou que “o caso é crítico”. A primeira audiência está marcada para hoje (4), onde será fixada o valor da fiança. “A advogada me disse que pode variar entre $5 mil e $20 mil e terei de pagar a ela inicialmente$2.500 para que ela possa fazer a defesa dele”, afirma.

Emocionada Nara faz um apelo aos jovens imigrantes. “Eu gostaria de alertar a população, principalmente aos jovens que tomem muito cuidado. Não estou quero apavorar ninguém, mas a situação está delicada no momento para nos imigrantes ilegais. Não dirijam se não for realmente necessário, revisem seu carro, não passe do speed. Tente fazer o possível para que a polícia não os aborde. Dirigir sem carteira agora é crime, chamam o Ice... Aos jovens peço calma, escutem seus pais, deixem as baladas e as festas um pouco. Vamos esperar esta situação de deportação ser resolvida. Meu filho não me ouviu, foi atrás da conversa de amigo...  Fazer favor para um amigo e agora está lá preso. Por favor escutem seus pais. Não quero que ninguém sofra o que eu e meu filho estamos sofrendo”, finaliza.

Nara não tem condições financeiras para pagar as custas com a advogada e da fiança. Para ajudá-la amigos fizeram uma página no Go Fund Me para que a comunidade possa colaborar fazendo doações. Para que o valor possa ser alcançado o mais breve possível, um desenhista que é amigo de Eduardo, está oferecendo os serviços dele para fazer retratos de pessoas através de fotos a $50 que devem ser pagos diretamente como doações no site do Go Fund Me.

Fonte: Brazilian Times