Publicado em 15/03/2017 as 11:30am

ICE libera jovem imigrante detida após falar sobre imigração em coletiva de imprensa

ICE libera jovem imigrante detida após falar sobre imigração em coletiva de imprensa

Daniela Vargas, 22 anos, foi detida pelo Immigration and Customs Enforcement (ICE) no Mississipi, no início do mês, após ter falado contra as políticas de imigração do presidente Donald Trump, em uma coletiva de imprensa. Ela foi liberada da prisão neste final de semana.
Ela, que nasceu na Argentina, está nos Estados Unidos desde os sete anos de idade e estava morando aqui legalmente no país como “Dreamers”, beneficiária do DACA ( Deferred Action for Childhood Arrivals), assinado na administração Obama.
Os problemas da imigrante com o ICE começaram em 15 de fevereiro, quando os agentes entraram em sua casa e levaram seu pai e irmão algemados. Vargas, que havia pedido uma renovação da DACA cinco dias antes do ataque, não foi detida até 1º de março: De acordo com uma petição apresentada por seus advogados no Tribunal Distrital dos EUA em Louisiana.
Ela tinha acabado contar a história de sua família, em uma coletiva de imprensa, como parte de um discurso sobre a reforma da imigração quando os agentes ICE interceptaram o carro em que a imigrante estava. Vargas foi levada sob custódia para aguardar a possível deportação.
O porta-voz do ICE, Thomas Byrd, divulgou mais tarde uma declaração dizendo que Vargas foi detida em uma “ação de imigração direcionada” – uma explicação que não amenizou o fato da opinião pública pensar que Vargas estava sendo punida por colar o pescoço para expressar suas crenças.
Na petição, o advogado relatou que na ora da prisão, um dos agentes do ICE que haviam participado da incursão em sua casa lhe disse: “Lembra-te de mim, sabes quem somos, sabe por que estamos aqui”.
Vargas estava presa no Centro de Detenção de LaSalle, em Jena, Louisiana, e estava sob ameaça de deportação acelerada, até sua liberação surpresa, por volta do meio-dia de sexta-feira (10). Seu advogado, Abby Peterson, disse que ela foi liberada devido a “discrição do Ministério Público”, e espera-se que lhe seja dado “direitos básicos de processo devido e colocado na frente de um juiz de imigração”. Peterson acrescentou: Estamos muito felizes com a notícia da libertação de Daniela. É motivador saber que o poder de tantas vozes em apoio de Daniela foi finalmente ouvido. Mas é importante ressaltar que essa detenção nunca deveria ter ocorrido. Nem todas as pessoas terão a sorte de ter o tipo de apoio que Daniela teve.

Fonte: Brazilian Times