Publicado em 2/04/2017 as 9:15pm

Brasileira é presa pelo ICE após entrevista para o Green Card

Brasileira é presa pelo ICE após entrevista para o Green Card

Os oficiais federais da imigração prenderam cinco pessoas em Lawrence (Massachusetts), na quarta-feira (29) quando elas apareceram para entrevistas no U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS). Segundo informações, três delas estavam iniciando o processo para se tornarem residentes legais nos Estados Unidos e entre elas estava uma brasileira.

Em uma nota, o Immigration and Customs Enforcement (ICE) afirmou que a agência tinha ordens para deter cada uma das cinco pessoas e encaminhá-las para deportação.

Brian Doyle, o advogado de uma das três pessoas que foram ao local em virtude do processo para obtenção do Green Card antes de serem presas, disse que sabia que havia uma chance de sua cliente ser levada sob custódia pelo ICE.

Sua cliente, cidadã brasileira que tinha uma ordem de deportada emitida antes de se casar com um cidadão norte-americano, também entendia os riscos, mas decidiu que queria manter arriscar e iniciar o processo de Green Card.

Isso é um exemplo da situação difícil para muitos imigrantes que vivem no país ilegalmente, que são forçados a pesar os custos e benefícios de manter uma entrevista com um oficial de imigração à luz das novas prioridades de deportação estabelecidas pelo presidente Trump.

O advogado explicou que "se correr o bicho pega e se ficar o bicho come". Isso porque se o imigrante é convocado para uma entrevista de um processo de legalização, mas não porque já tem uma ordem de deportação, as autoridades entendem que ele não quer continuar com o processo de Green Card. Por outro lado, se esta pessoa comparece na entrevista, pode ser detida e deportada.

Como a cliente de Doyle é casada com um cidadão norte-americano, ela é elegível para um processo específico de candidatura patrocinado por seu marido. Tanto a cliente de Doyle como seu marido estavam presentes no escritório do USCIS para participar do que é chamado "entrevista de petição de casamento", um processo usado para pesquisar matrimônios fraudulentos.

Doyle disse que sua cliente, uma pequena empresária sem registro criminal, tinha acabado de completar sua sessão de perguntas e respostas, quando um agente da ICE entrou no escritório e informou que havia uma ordem de deportação contra ela e seria detida naquele momento.

O advogado disse que o ICE agiu dentro de sua autoridade ao levar a brasileira sob custódia. "Sim, eles têm autoridade para isso, mas normalmente não vemos pessoas detidas nesse ambiente, porque eles estão dando o primeiro passo para obter um status legal", explica.

A brasileira está sob custódia do ICE na Casa de Correções do Condado de Suffolk. O advogado afirmou que sua cliente pode ficar detida, longe de seus três filhos e marido, por semanas, enquanto o processo legal se desenrola. "Em última instância, ela poderia ser deportada para o Brasil, país que não visita há mais de 15 anos", continuou.

Susan Church, da American Immigration Lawyers Association, analisa as prisões realizadas no escritório do USCIS e diz que não são apenas preocupante, mas também surpreendentes.

"A detenção de uma pessoa nestas circunstâncias e levada para a prisão é algo definitivamente novo", disse. "Porque o sistema de prioridade sob a administração de Obama instruiu aos oficiais de ICE para não deter ou prender indivíduos sob estas circunstâncias", seguiu.

Church e outros advogados dizem que o fato de o ICE notificar uma pessoa no USCIS não é incomum, mas que o fato das pessoas terem sido levadas sob custódia leva-os a acreditar que isso representa uma mudança nas táticas da agência de imigração. "O que isso significa é que as pessoas que são elegíveis para obter o Green Card, que estão seguindo a lei, seguindo as regras, que estão fazendo o que o governo está instruindo-os a fazer, vão ser muito aterrorizadas e ficarão com medo de aparecer e seguir com o processo", disse Church. "E agora uma nova categoria de pessoas vai voltar à sombra da imigração e viver com medo", afirma.

Em uma declaração, o ICE confirmou que os policiais estavam "respondendo a uma dica de investigação" ao prender os cinco imigrantes no escritório do USCIS, em Lawrence. "Todos os cinco imigrantes têm ordens definitivas de deportação emitidas por um juiz de imigração federal. Todos eles serão mantidos em custódia pendente remoção dos Estados Unidos", disse a declaração.

Quando perguntado se as cinco pessoas detidas tinham antecedentes criminais, um porta-voz da ICE disse que duas das pessoas não tinham antecedentes criminais, enquanto as outras três tinham "múltiplas violações de trânsito".

Fonte: Brazilian Times