Publicado em 3/04/2017 as 6:00pm

Duas imigrantes são detidas no aeroporto de Boston (MA)

Duas imigrantes são detidas no aeroporto de Boston (MA)

As últimas vítimas da agressiva repressão do presidente Trump à imigração ilegal foram duas irmãs que foram enviadas de volta para a Colômbia depois de terem sido detidas no Logan, aeroporto internacional de Boston (Massachusetts), após ficarem 36 horas.

As irmãs Dayana Gomez, 20 anos, e Laura Gomez, de 11 anos, foram detidas para serem interrogadas por agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) quando chegaram a Boston, na quarta-feira (29/03) para visitar a mãe e o padrasto.

Somente quando Laura foi levada ao Hospital Geral de Massachusetts, no dia seguinte, após sofrer fortes dores de estômago, sua mãe e o padrasto receberam permissão para vê-la. No entanto, um agente de fronteira foi colocado do lado de fora do quarto do hospital e a família foi proibida de usar celulares.

"Eu nunca vi algo parecido com isso", disse a advogada Heather Yountz, que ofereceu assistência jurídica às irmãs.

Depois que Laura foi tratada, as irmãs retornaram ao Logan para mais perguntas antes de serem enviadas de volta à Colômbia, na sexta-feira (31/03). "Isso que parece reforço de triagem?" indagou Yountz, referindo-se a um mandato da administração Trump estabelecido no mês passado que exige um exame mais rigoroso dos vistos.

Esta não é a primeira vez que a saúde de um imigrante não é uma preocupação para oficiais de imigração, desde que a repressão de Trump sobre imigração começou, segundo a advogada.

Em fevereiro, uma mulher indocumentada de El Salvador foi removida de um hospital do Texas onde estava na lista de espera para uma cirurgia no cérebro. Mas agentes da Imigração apareceram e a levaram sob custódia.

Sara Beltrán-Hernandez, de 26 anos, foi levada de volta ao centro de detenção em que estivera por dois anos depois de ser detida enquanto tentava visitar a mãe, que mora em Queens, New York.

Depois que o incidente se tornou manchetes em torno do país, Beltran-Hernandez foi liberada a ir para NY e espera viver com sua mãe em Queens.

Fonte: Brazilian Times