Publicado em 28/04/2017 as 12:00pm

Juiz estipula $15 mil de fiança para brasileira de 18 anos presa há 5 meses pela imigração

Sem ter condições financeiras para pagar a fiança da filha, mãe faz campanha e pede desesperadamente a ajuda da comunidade.

Após cinco meses detida, aconteceu na última terça-feira, dia 25, na cidade de Chaparral (New Mexico) a audiência da brasileira de 18 anos que foi presa por agentes da imigração após tentar fazer a travessia do México com os Estados Unidos, juntamente com a mãe e a irmã menor de idade.

Larissa Vilaça tinha acabado de completar 18 anos, por isso ficou detida enquanto a mãe Alexsandra Vilaça e a irmã Laiza Vilaça de 12 anos, foram soltas. Desde então a jovem permanece presa e sem muito contato com a família. Recentemente ela foi transferida da cadeia que estava detida no Texas para a Otero County Processing Center, situada no Novo México. “Fiquei mais aliviada por que lá ela me disse que é melhor tratada, mas quero minha filha comigo”, relatou Alexsandra.

Desesperada Alexsandra já fez algumas campanhas para tentar arrecadar o valor para arcar com as custas do advogado que contratou para cuidar do caso. Sem poder trabalhar, pois ao sair da cadeia recebeu a tornozeleira com o rastreador, ela conta que tem feitos alguns “bicos” para conseguir pagar o aluguel de uma casa que divide com uma colega e sustentar a filha de 12 anos. “O pai delas não me ajuda com nada”, relata.

Na audiência que aconteceu esta semana o juiz determinou em $15 mil dólares a fiança para colocar Larissa em liberdade. “Tenho até segunda-feira (1) para conseguir esse dinheiro... O meu advogado disse que na segunda ele já tem que informar ao juiz se terei ou não o valor da fiança para tirar minha filha de lá... Preciso muito da ajuda da comunidade para conseguir esse valor. Minha filha ficou muito feliz em saber que poderá sair de lá e me pediu para conseguir esse dinheiro... Ela não quer ser deportada”, relatou Alexsandra ao Brazilian Times.

Para tentar arrecadar a verba, Alexsandra esta pensando em fazer uma campanha, vendendo marmitas neste final de semana e conta com a ajuda da comunidade brasileira para conseguir arrecadar o dinheiro. “Por favor me ajudem!”.

Até o fechamento desta edição a brasileira ainda não tinha a confirmação de uma instituição a qual pediu ajuda para fazer a venda das marmitas, mas pede para que as pessoas que puderem ajudá-la, entrem em contato com ela através do telefone: (508) 560-6133.

Fonte: Brazilian Times