Publicado em 11/05/2017 as 8:30pm

Documentário sobre imigração será exibido gratuitamente hoje em Boston

Filme retrata a dura realidade de imigrantes indocumentados que residem nos EUA.

Imagine crescer em um país que você chama de casa, mas sem status legal. Ou não ver sua família por anos porque eles foram deportados... Enquanto muitos acham dificuldades em imaginar tais situações, essa é a dura realidade de milhares de imigrantes indocumentados oriundos do Brasil e de diversas partes do mundo que atualmente residentes nos Estados Unidos e é essa realidade que é retratada no documentário dirigido e produzido por Hilary Lindere, Indivisible - Love Knows no Borders (Indivisível - Amor sem Fronteiras) e que será exibido hoje, sexta-feira, dia 12 no Espaço Diagaaí em Boston (Massachusetts), à convite do Brazilian Women’s Group – Grupo Mulher Brasileira.

Hilary Linder combina seu conhecimento sobre os campos de desenvolvimento internacional e o humanitário com seu paixão pela narrativa não-ficcional como diretor e produtor de Indivisível. Hilary é a fundadora e presidente da Kudzu Films, uma produtora dedicada à difusão da justiça social através do cinema.

“Indivisível - Amor sem Fronteiras” relata a trajetória de três crianças: Renata, Evelyn e Antonio que foram trazidas por seus pais para os EUA em busca de uma vida melhor. Eles eram adolescentes quando suas famílias foram deportadas. Hoje, eles são conhecidos como “sonhadores”. 

O documentário “Indivisível” é um filme tocante que narra histórias de seres humanos afetados pela política de imigração e ocorre em um momento crucial em suas vidas. Como eles lutam por um caminho para a cidadania e uma chance de se reunir com seus entes queridos? Com o futuro da reforma da imigração incerto, eles vão ver suas famílias novamente?

A brasileira Renata Teodoro, uma das sonhadoras retratadas no filme em sua história real de vida, estará presente para conversar sobre o filme.

A exibição gratuita do documentário acontece hoje, às 6:30pm no Espaço Diagaaí, situado no 151b Pearl Street, em Boston.

Fonte: Brazilian Times