Publicado em 9/06/2017 as 2:44pm

Advogado alerta que Governo Trump está reabrindo casos suspensos de deportações

Isso porque Trump assinou uma série de ordens executivas relacionadas à imigração

Advogado alerta que Governo Trump está reabrindo casos suspensos de deportações Ludo Gardini tem orientado as pessoas através de sua página no Facebook

Se o seu caso de deportação foi suspendido processualmente há algum tempo e pensa que pode permanecer nos Estados Unidos sem maiores contratempos, alguns advogados alertam que deve se preparar para o pior.

O alerta também foi feito pelo advogado brasileiro especializado em imigração, Ludo Gardini. De acordo com ele, as autoridades estão reabrindo casos envolvendo imigrantes que estavam em processo de deportação e tiveram seus processos interrompidos por não serem prioridades.

Gardini ressalta que essa política mudou após a aplicação da política imigratória de Donald Trump. “Agora, os agentes do Immigrantion and Customs Enforcement estão buscando imigrantes, prendendo e reabrindo os casos”, afirma.

Durante o governo de Barack Obama muito casos que não eram prioritários para a deportação foram fechados processualmente, mas depois do dia 25 de janeiro a política mudou, conforme relatam vários advogados. Isso porque Trump assinou uma série de ordens executivas relacionadas à imigração. Além disso, ele também lançou outras medidas dando novas prioridades de deportação e trazendo de volta os processos interrompidos na época de Obama.

Gardini afirma que no governo anterior, casos insignificantes como multas de trânsito não eram considerados como prioridade para a deportação, mas agora as autoridades estão reabrindo os casos para dar continuidade aos processos.

De acordo com o alerta, as ordens executivas sobre imigração assinadas por Trump colocaram na mira das autoridades os 11 milhões de imigrantes indocumentados, em particular aqueles que têm antecedentes criminais, incluindo os que estão “livres” porque os casos foram interrompidos.

Gardini fala que, infelizmente, os agentes do ICE estão atrás destas pessoas que tiveram seus casos interrompidos por não serem prioridades.

Fonte: Redação - Brazilian Times