Publicado em 16/06/2017 as 9:00am

NYC cria “brecha” para evitar deportações de imigrantes criminosos

Uma lei em New York City que reclassifica vários delitos de baixo nível como não penais entrou em vigor na terça-feira, dia 13. Desta forma, ela impede o registro criminoso de imigrantes e evita uma potencial deportação.

NYC cria “brecha” para evitar deportações de imigrantes criminosos De Blasio mantem luta para impedir ações de Trump contra imigrantes

A lei foi aprovada pelo Conselho da Cidade e assinado pelo prefeito Bill de Blasio em 2016. Ela classifica alguns crimes e os policiais devem entregar intimações civis e não criminais para determinados casos. A mudança atingi até crimes como urinar ou beber em público e ficar no parque depois de escurecer.

Esta lei confronta a administração do presidente Donald Trump que assinou várias ordens executivas com o objetivo de deportar o máximo de imigrantes possível.

Sob esta nova lei, os imigrantes indocumentados condenados por algum crime citado nela, seriam enquadrados em processos civis e não criminais. A medida tem pontos positivos e alguns negativos. Ela afetaria casos como: Alejandro Luna, um ex-membro de gangue e um indocumentado preso no Central Park depois do sol se pôr, no dia 5 de junho. Agora ele enfrenta deportação.

Esta seria a segunda deportação de Luna, tendo a primeira sido na primavera de 2006, depois de ser condenado por invasão de residência e roubo.

Defensores ignoraram o efeito sobre a imigração, no entanto, argumentam que a lei é necessária para os jovens nova-iorquinos que não merecem registos criminais permanentes por cometer pequenos delitos.

Fonte: Redação - Brazilian Times