Publicado em 21/06/2017 as 4:00pm

Trump quer iniciar construção de muro na fronteira em 2018

Restam ainda muitos pontos a serem costurados, mas já há uma data provisória para o início da construção do muro.

Trump quer iniciar construção de muro na fronteira em 2018 Muro projetado para 2018.

Restam ainda muitos pontos a serem costurados, mas já há uma data provisória para o início da construção do muro entre Estados Unidos e México, emblema da campanha eleitoral de Donald Trump.

“Estamos trabalhando cuidadosamente para, se recebermos os fundos, poder começar em março ou abril de 2018”, anunciou Carla Provost, chefe interina da Patrulha de Fronteira dos EUA.

O governo Trump pediu 1,6 bilhão de dólares no orçamento fiscal do ano de 2018 para começar a levantar uma barreira com o México. Porém, a aprovação depende do congresso, que tem se mostrado reticente em financiar a proposta. A quantia é muito inferior aos cerca de 12 bilhões de dólares calculados por Trump para a obra, e aos 20 bilhões estimados pelo Departamento de Segurança Nacional.

São 3.100 quilômetros de fronteira entre os Estados Unidos e o México. Trechos que somam aproximadamente 1.000 quilômetros já foram murados, após aprovação de uma lei de 2006.

Trump, que acusa o México de “enviar estupradores” através da fronteira, prometeu completar com um muro todo o resto dos trechos fronteiriços. O republicano, que fez dos insultos ao México um símbolo de sua campanha, assegura que o país vizinho terá que compensar o custo da construção —o que o país latino nega taxativamente.

Em uma participação na Comissão de Apropriações do Congresso, Provost explicou que há previsão de começar a atuar em três trechos no próximo ano: levantar cerca de 51 quilômetros de muro na zona do Vale do Rio Grande, outros 45 quilômetros que reforcem “vácuos” entre as barreiras atuais e a substituição das atuais cercas entre San Diego e Tijuana e entre El Paso e Ciudad Juárez.

“O Vale do Rio Grande tem sido uma área explorada por maus indivíduos nos últimos anos, onde nos falta muita infraestrutura”, explicou a chefe da patrulha que vigia a fronteira.

Fonte: Redação - Brazilian Times