Publicado em 26/06/2017 as 6:00pm

Prefeito de NY perdoa indocumentado que enfrentava deportação

Carlos Cardona trabalhou no trabalho de limpeza dos destroços após os ataques terroristas ao WTC, em 11 de setembro de 2001

Prefeito de NY perdoa indocumentado que enfrentava deportação Atualmente, Carlos Cardona sofre de problemas respiratórios agudos, depressão, ansiedade e PTSD

Um ex-voluntário do trabalho de remoção dos destroços do ataque terrorista ao World Trade Center, em Manhattan (NY), poderá se livrar da deportação, depois que o Governador Andrew Cuomo concedeu-lhe clemência na quarta-feira (21). O imigrante indocumentado Carlos Cardona, que foi condenado de um crime não violento envolvendo drogas em 1990, está detido desde fevereiro, quando agentes do Departamento de Imigração (ICE) o prenderam na residência dele em Queens (NY), poucas semanas depois que o Presidente Trump havia assumido o cargo.

A ordem de clemência de Cuomo foi emitida poucos dias depois que o jornal NY Daily News postou a saga vivida pelo indocumentado.

“Em mais de 30 anos que Carlos Cardona tem vivido nesse país, ele constituiu família e contribuiu para a comunidade dele, incluindo durante o 9/11, quando ele ajudou no Ground Zero (local do atentado) nos esforços de resgate à custa de sua própria saúde”, disse Cuomo. “Espero que a minha ação não somente reúna o Sr. Cardona com sua esposa e filha, mas também envie a mensagem dos pilares de justiça e igualdade sobre os quais Nova York foi fundada”.

Cardona trabalhou no trabalho de limpeza dos destroços após os ataques terroristas ao WTC, em 11 de setembro de 2001. Ele agora sofre de problemas respiratórios agudos, depressão, ansiedade e PTSD.

Ele tinha 21 anos quando foi condenado em 1990 por tentar vender uma substância controlada em Queens (NY). Desde então, Carlos não se envolveu em problemas com a lei.

Cuomo explicou que, sem receber a clemência, Cardona, que imigrou para os EUA em 1986, quase certamente seria deportado para a Colômbia, onde ele não seria capaz de receber cuidado médico adequado. A clemência permite que Cardona e o advogado dele reabram a “Ordem Final de Remoção”, pois os motivos para a deportação não são mais válidos.

Carlos casou-se com uma cidadã americana que também trabalhou no trabalho de remoção dos destroços do WTC e tem uma filha de 19 anos de idade na universidade. O caso de Cardona foi abraçado por várias pessoas influentes, incluindo o Vereador Joseph Crowley (D-Queens).

“O Sr. Cardona merece o nosso obrigado e não indiferença”, escreveu Crowley (D-Queens) numa carta endereçada ao secretário do Departamento de Segurança Nacional (DHS), John Kelly, e o diretor do Departamento de Imigração (ICE), Thomas Homan.

A presidente da Fortuna Society, JoAnne Page, disse que a deportação de Cardona “seria uma perda trágica para a família dele e o estado de Nova York. Ao emitir a clemência para o Sr. Cardona, o Governador Cuomo demonstrou compaixão e liderança corajosa”.

Fonte: Brazilian Voice