Publicado em 3/07/2017 as 12:00pm

Restaurante perde funcionários após visita do ICE em Maryland

Indocumentados ficaram com medo de ser deportados e não voltaram mais ao trabalho.

Restaurante perde funcionários após visita do ICE em Maryland O BoatHouse perdeu mais de 30 funcionários depois da visita de um agente do ICE

Um restaurante em Baltimore (MD) perdeu grande parte do quadro de funcionários, depois da visita de um agente do Departamento de Imigração (ICE) ao estabelecimento. O BoatHouse Canton, localizado na orla da cidade, perdeu dezenas de trabalhadores na cozinha semana passada, após o agente ter ido ao local para verificar o status migratório de todos os trabalhadores, publicou o jornal Washington Post.

Através de uma carta aberta aos clientes postada no Facebook, o proprietário Gene Singleton explicou que, depois que um agente do ICE foi ao restaurante para verificar a documentação migratória, mais de 30 funcionários perderam o cargo, com muito “indo em casa para fazer as malas e ir embora” com medo da possibilidade de serem separados de suas famílias.

De acordo com o Brazilian Voice, Singleton, ainda, acusou a administração Trump de “perseguir a comunidade hispânica” e informa que criou um fundo de ajuda aos funcionários afetados. A postagem do proprietário gerou polêmica na página do restaurante no Facebook: Inúmeros clientes elogiaram Gene por apoiar seus funcionários, enquanto outros o acusam de depender de trabalhadores indocumentados.

Não é segredo que o ramo de restaurantes se apoia na mão-de-obra imigrante, inúmeros deles indocumentados, e muitos estabelecimentos já foram alvos de batidas do ICE nos últimos meses. Entretanto, Singleton disse que o estabelecimento dele foi considerado “no cumprimento” e que não é somente os imigrantes indocumentados que demonstram preocupação. Desde que a administração Trump ocupou o cargo, até mesmo os imigrantes legais foram envolvidos pelo sentimento contra os estrangeiros e a adoção irregular de políticas de segurança como a proibição da entrada nos EUA de cidadãos naturais de 6 países de maioria muçulmana; o qual gerou caos em aeroportos de todo o país.

“24 de junho de 2017. Um novo dia no BoatHouse. A todos os nossos leais clientes atuais e futuros. Ontem, foi o dia mais triste para a família BoatHouse em seus mais de 3 anos. Nós tivemos que dizer adeus para mais de 30 colegas de trabalho que atuavam em nossa cozinha e apoiavam a nossa equipe de atendimento, geralmente conhecidos como ‘o fundo da casa’, mais conhecidos no BoatHouse como o ‘coração da casa’. Na última quinta-feira (22), o Departamento de Imigração (ICE) enviou uma exigência para que os arquivos com os dados de todos os funcionários deveriam ser entregues para revisão do I-9, documentação de imigração”, diz a carta.

“(…) Os outros mais de 90 funcionários e gerentes se uniram e levam o serviço adiante como campeões, equipe e família que eles são. O lançamento do nosso cardápio de verão foi suspenso. Nós criamos um cardápio temporário no qual consta os nossos pratos mais populares. Hoje, tenho o orgulho de anunciar que o BoatHouse criou o ‘CORAÇÃO DA CASA’ para ajudar as nossas famílias afastadas pela transição. Uma parte de todo o lucro também irá para esse fundo. Todos são convidados a vir e aproveitar as experiências excelentes pelas quais o BoatHouse ficou conhecido e apoiar o nosso Fundo Coração da Casa. Como grupo, essas pessoas são algumas das melhores que eu já conheci”, acrescentou Gene.

Na segunda-feira (26), o proprietário convidou os clientes que, por ventura não receberam atendimento adequado devido à falta de atendentes no restaurante, a retornarem com o recibo daquele dia que a refeição seguinte teria 50% de desconto.

Fonte: Redação - Brazilian Times