Publicado em 5/07/2017 as 9:00am

Brasileiro acusado de agredir policial vai ter audiência dia 18 na Flórida

Bernardo Cardoso Oliveira Vieira, se envolveu em uma briga com um policial da cidade de Deerfield Beach (Flórida)

No dia 29 de junho, o adolescente brasileiro Bernardo Cardoso Oliveira Vieira, se envolveu em uma briga com um policial da cidade de Deerfield Beach (Flórida). Ele, que tem 17 anos de idade, se apresentou à polícia na noite de quinta-feira (29). Depois de se apresentar, o jovem ficou sob custódia do Centro de Detenção Juvenil do condado de Broward.

No dia seguinte, ele ficou diante de um juiz que determinou prisão domiciliar até a próxima audiência que acontecerá no dia 18 deste mês. O jovem responderá pelas acusações de agressão policial, conduta desordeira e resistência à prisão.

De acordo com os relatórios policiais, o incidente aconteceu na noite do dia 26, no Burger Fi da cidade de Deerfield Beach. O gerente do local chamou um policial para retirar um adolescente e outras pessoas que estavam causando perturbação.

Ainda de acordo com documentos judiciais, o policial teria jogado spray de pimenta no rosto do brasileiro e o forçou a se ajoelhar. Isso terminou em confronto físico entre eles e o adolescente conseguiu fugir. Tudo foi registrado por uma câmera de celular e publicado nas redes sociais.

De acordo com o jornal Gazeta News, o pai de Bernardo, Ivan Moreira, é natural de Petrópolis (Rio de Janeiro) e mora na Flórida há 16 anos. Ele trabalha como “HANDMAN” e disse que o filho mora com ele há oito meses. “Ele cresceu longe de mim, mas sempre mantivemos contato por telefone e pela internet. Claro que é bem diferente de estar pessoalmente, mas nunca deixamos de nos falar e há quase dois anos ele quis vir morar comigo. Somos nós dois e agora nos aproximamos mais, somos os melhores amigos um do outro, ele é parceiro e não me dá trabalho, é um garoto tranquilo”, afirmou.

O pai desmentiu o que foi publicado pelos canais de TV e outros jornais. Ele alega que os veículos de comunicação cortaram o início do vídeo, onde mostra o policial jogando o spray de pimenta na cara do seu filho. “Ele não atacou o policial como estão dizendo, e foi derrubado ao chão e me disse que não viu nada, mal conseguia respirar e com o olho ardendo recebeu soco do policial e só tentou se defender e sair dali”, relata.

O jovem afirmou que fugiu do local porque sentiu medo e por isso se manteve escondido durante alguns dias. O tratamento do policial foi questionado pela família e vizinhos do brasileiro. “Foi muito agressiva a maneira como o oficial agiu com o garoto. Não precisava jogar spray e derrubá-lo ao chão. Isso não é uma ação apropriada para se fazer com um garoto que não é violento e não provocou nada”, concluiu.