Publicado em 22/07/2017 as 11:00am

Brasileiro acusado de agredir esposa e policiais em Framingham tem fiança revogada

Uma juíza decidiu, na quarta-feira (19), revogar a fiança do brasileiro Cleider Ribeiro, 44 anos.

Brasileiro acusado de agredir esposa e policiais em Framingham tem fiança revogada Brasileiro é acusado de agredir a ex-esposa e policiais.

Uma juíza decidiu, na quarta-feira (19), revogar a fiança do brasileiro Cleider Ribeiro, 44 anos, acusado de violar uma ordem de restrição emitida um dia antes, em Framingham (Massachusetts).

De acordo com documentos judiciais, Ribeiro vai, agora, passar 90 dias na prisão. A polícia relatou que ele violou a ordem ao chamar e ameaçar a sua ex-esposa, na terça-feira (18).

Na segunda-feira (17), a juíza do tribunal distrital de Framingham, Martine Carroll, liberou o brasileiro sem fiança, após uma audiência que o acusava de entrar na casa e agredir a sua esposa, no sábado (15), e depois agredir policiais durante uma discussão sob uma custódia infantil.

Como parte das condições para que ele respondesse ao processo em liberdade, Ribeiro foi obrigado a cumprir a ordem de restrição e a não ingerir bebida álcool.

O promotor Tim Cochrane disse que Ribeiro violou essas duas determinações judiciais na terça-feira. "Ele deixou para sua ex-esposa uma mensagem de voz que tinha aproximadamente quatro minutos de duração", disse. "O réu pode ser ouvido, na mensagem de correio de voz, usando palavrões e ameaçando a vítima".

De acordo com um relatório da polícia, apresentado durante a audiência de quarta-feira, Ribeiro se gabou de estar livre depois que a vítima chamou a polícia para ele no sábado.

Na noite de terça-feira, quando a polícia falou com o oficial supoervisor da liberdade de Ribeiro, relatou que ele aparentava estar intoxicado e passou por um teste de bafômetro, que ultrapassou o nível de .21, prova de que ele ingeriu uma grande quantidade de álcool.

A polícia acusou Ribeiro, que vive no Red Roof Inn, na Cochituate Road, de violação de uma ordem de restrição e intimidação de uma testemunha.

O promotor pediu à juíza para manter Ribeiro com uma fiança de US$ 5.000 neste novo caso e revogar sua liberdade sem fiança no caso anterior de agressão. "Este é um indivíduo que claramente não refletiu sobre a gravidade de seus crimes", disse Cochrane.

Ribeiro negou ter feito a ligação, e afirma que um dos oficiais supervisores é um grande amigo de seu Ribeiro, com quem não se dá bem, disse o advogado Justin Wing. "Ele acredita que esta é uma armadilha elaborada para condená-lo", disse. "Eu não sei se isso é uma questão de falsificação (seu número de telefone)".

Ribeiro também nega ter bebido e disse que nunca passou por um teste de bafômetro.

Carroll revogou a fiança de Ribeiro nos dois casos abertos, segurando-o sem fiança por 90 dias. Ela também estabeleceu a fiança em US $ 1.000 no novo caso.

Fonte: Redação - Brazilian Times