Publicado em 22/07/2017 as 7:00pm

Mãe de quatro crianças enfrenta deportação em CT

Na terça-feira, dia 18, ela recebeu a triste notícia de que terá que sair dos Estados Unidos.

Mãe de quatro crianças enfrenta deportação em CT Nury espera um milagre para continuar nos EUA.

Uma mãe de quatro crianças está passando por momentos difíceis em sua vida. Na terça-feira, dia 18, ela recebeu a triste notícia de que terá que sair dos Estados Unidos. A mulher, oriunda da Guatemala, chegou ao país há 24 anos e construiu a sua família, trabalhando duro e de maneira honesta.

Na quarta-feira, dia 19, ela teve o seu pedido de perdão negado.

Nury Chavarria se mudou para os EUA quando tinha apenas 19 anos de idade e na época, solicitou um pedido de asilo, que não teve sucesso. Mas ao invés de deixar o país, ela ficou e se instalou em Norwalk (Connecticut), onde teve e criou os quatro filhos, enquanto trabalhava como governanta.

Nos últimos anos, ela passou por “check-ins” anuais com funcionários da imigração, e nunca houve um problema. Isso foi até o final de junho, quando lhe disseram que tinha menos de um mês para comprar uma passagem de ida para a Guatemala.

Glenn Formica, um advogado em New Haven (CT), e os ativistas locais começaram a trabalhar neste caso, mas com a estadia já negada uma vez pelo Immigration and Customs Enforcement (ICE), eles estavam esperando um milagre de última hora.

Dois senadores federais em Connecticut escreveram cartas em apoio à imigrante,

Seus defensores afirmam que ela não tem antecedentes criminais e que precisa ficar no país para cuidar de seu filho mais velho que sofre de paralisia cerebral, junto com sua filha, que acabou de completar 9 anos. "Sete dias antes do meu aniversário, isso não é o que eu esperava, pensei que iríamos para casa, ter um dia normal. Seria bom, mas não estava bem", disse a filha de Nury, Hayley Chavarria.

"Eu gosto deste país, vim para cá em 1993 e comecei a trabalhar. Amei. Tenho quatro filhos, pago impostos. Estou trabalhando duro e gosto disso", disse Nury Chavarria. Ela acrescentou que sua preocupação é deixar seus filhos para trás, pois eles precisam de sua ajuda.

O ICE não quis comentar o caso.

Em um comunicado, o vereador de New Haven, Darryl Brackeen Jr., disse: "É um dia triste na América, quando nosso país separa os pais de seus filhos e famílias, especialmente neste caso. Como uma cidade, somos solidários com a família. Nós somos uma cidade e um estado de acolhimento, especialmente para aqueles que são membros produtivos em nossa comunidade. Imploro ao Congresso dos Estados Unidos e aos funcionários da imigração que tomem as providências necessárias para garantir que este caso seja resolvido".

Nury disse que se for forçada a sair, pode voltar a viver com a mãe na Guatemala, mas está tentando não pensar sobre o que acontecerá com os quatro filhos.

O senador dos EUA, Richard Blumenthal, emitiu uma declaração na quarta-feira que dizia: "Meu coração se quebra por Nury e seus quatro filhos, cidadãos dos EUA - uma família que será despedaçada devido a uma decisão fria e insensível da administração Trump. Falei diretamente com a liderança da ICE, apresentando fatos claros e convincentes neste caso e buscando um pedido razoável de reconsideração, mas a administração Trump fechou as portas. Infelizmente, essa tragédia é apenas a ponta do iceberg. Todos os dias, meu escritório é contatado por famílias de todo o Connecticut - indivíduos que não cometeram nenhum crime, pais de crianças cidadãs, vizinhos trabalhadores que relataram obedientemente ao ICE ano após ano, que agora estão sendo informados que serão deportados imediatamente sob as novas políticas de Trump . A América é melhor do que isso, e a história não julgará essas ações gentilmente. Eu elogio os defensores e a família Chavarria por sua bravura e tenacidade diante da injustiça. Perdemos essa luta, mas devemos sustentar nossa indignação e lutar até que o motivo deste país ser grande seja restaurado. E, em última análise, devemos alcançar uma reforma abrangente da imigração para proporcionar mudanças duradouras ao nosso sistema de imigração falho".

O senador Chris Murphy também divulgou uma declaração que dizia: "Estou com o coração partido pela família Chavarria. Nury é uma trabalhadora e a única cuidadora de seus quatro filhos, cidadãos dos EUA. Ela não é o alvo que devemos focar nosso tempo e esforço limitados para a aplicação lei e deportação. As políticas de imigração de Trump nos tornam menos seguros. Nós somos melhores que isso".

Fonte: Redação - Brazilian Times