Publicado em 23/07/2017 as 2:00pm

CARTA BRANCA: Diretor do ICE promete “invadir” cidades santuários

Thomas Homan disse que vai designar os 10 mil agentes contratados para prender todos os imigrantes indocumentados que encontrarem.

CARTA BRANCA: Diretor do ICE promete “invadir” cidades santuários Dez mil agentes serão designados para 'cidades santuários'.

O diretor interino do Immigration and Customs Enforcement (ICE), Thomas Homan, afirmou na terça-feira, dia 18, que a administração de Trump vai “inundar as cidades santuários” com novos agentes. De acordo com ele, muitos dos 10 mil recém-contratados serão designados para localizar e deportar imigrantes em cidades onde as autoridades locais se recusam a cooperar com a agencia de imigração.

Ainda, conforme entrevista dada por Homan ao Washington Examiner, a agência de imigração está se preparando para uma megaoperação de prisão nacional contra imigrantes indocumentados que vivem em “cidades santuários”. Ele deixou claro que serão enviados mais recursos e agentes para estas cidades, que proíbem os seus funcionários de colaborar com o ICE.

Homan ressaltou que a imigração ilegal, através das fronteiras do país, caiu 70 por cento desde que Trump assumiu o cargo. “O que o presidente tem feito é muito bom e agora os agentes do ICE encontraram um significado para seus empregos”, disse o diretor que trabalha na agência há 30 anos. "O que o presidente fez foi tirar as algemas dos agentes que são encarregados de impor leis de imigração", continuou.

Desde a redução na travessia nas fronteiras, o ICE recebeu mais recursos para chegar aos imigrantes indocumentados em todo o país, seja nas prisões, foragidos ou trabalhando ilegalmente. “As cidades do santuário são um alvo chave, já que as autoridades locais protegem ativamente estas pessoas que quebraram as leis federais”, falou. "Na América em que cresci, as cidades não protegeram as pessoas que violaram a lei", continuou.

Homan obteve autorização para contratar 10 mil novos agentes e planeja inundar as cidades do santuário com esses novos recursos, conforme ele mesmo afirmou.

O chefe do ICE criticou as políticas do santuário, as quais segundo ele fomentam o medo nas comunidades imigrantes. “Ao se recusar a cooperar com ICE e entregar imigrantes presos, os agentes são obrigados a capturar estas pessoas em suas casas e locais de trabalho, tornando-o inseguro para todos os envolvidos, criando uma atmosfera de medo”, disse. "Eu vou prender ele e qualquer outra pessoa que esteja próximo a ele que esteja ilegal no país”, finalizou.

A notícia deixou indignados algumas autoridades que não concordam com as ações do presidente. "Eu realmente adoraria que eles respondessem a isso e nos ajudassem nessas áreas", disse Dart ressaltando que não entende como aumentar o número de agentes do ICE ajudaria a parar a violência. “Não há necessidade da administração Trump enviar mais agentes de imigração para Chicago como parte de uma tentativa de repressão às chamadas ‘cidades santuários’”. Esta afirmação foi feita pelo xerife do Condado de Cook, Tom Dart, na quarta-feira, dia 19.

Dart disse que este não o momento para que seus funcionários e demais policiais corram atrás de imigrantes. “Temos muito tiroteios e homicídios para nos preocuparmos”, explica o xerife que enviou “numerosas cartas” para funcionários federais pedindo ajuda para impedir o aumento da violência que varre o sul e oeste de Chicago.

O procurador-geral Jeff Sessions criticou repetidamente Chicago por declarar-se uma "cidade santuário", dizendo que essas políticas impõem leis que "minam as leis federais que buscam deportar imigrantes criminosos".

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News