Publicado em 24/07/2017 as 11:00am

Denver avalia bloqueio maior de leis contra indocumentados

Município quer oficializar 4 políticas de proteção aos imigrantes em sua jurisdição.

Denver avalia bloqueio maior de leis contra indocumentados A notificação (ao ICE) ultrapassa esse limite. Envolve-nos nessa ajuda, disse a Vereadora Robin Kniech

Conforme a proposta apresentada na quarta-feira (19) por membros do Conselho Municipal de Denver (CO), o Departamento do Xerife de Denver não notificaria mais as autoridades federais quando um presidiário que possui ordem de detenção pela imigração será liberado da penitenciária. A proposta pode acirrar ainda mais o conflito entre o escritório do xerife e o Departamento de Imigração (ICE). Os dois órgãos iniciaram neste ano uma disputa de forças sobre o sistema que agora permite a liberação dos detentos, quase sem aviso, das pessoas que o ICE quer prender. Dois membros do Conselho Municipal, que apresentaram o projeto “Public Safety Enforcement Priorities Act”, alegaram que Denver não precisa ajudar os agentes de imigração a fazer o trabalho deles.

“A função é seguir como eles pensarem ser a melhor forma possível”, disse a Vereadora Robin Kniech. “A notificação (ao ICE) ultrapassa esse limite. Envolve-nos nessa ajuda”.

De acordo com o Brazilian Voice, ela e o também vereador Paul Lopez apresentaram a proposta de 4 pontos durante uma reunião do Comitê Municipal. Na maior parte, a proposta codificaria as ordenanças e práticas que já ocorrem na cidade. Os dois vereadores disseram ter ouvido muitas histórias de residentes em Denver vivendo em pânico devido ao endurecimento no cumprimento das leis migratórias e muitos deles temem comparecer às audiências em tribunais, ligar para o 911 (Emergência) levar as crianças à escola e comparecer em consultas médicas.

“Infelizmente, há muitas pessoas ainda vivendo com medo”, disse Lopez. “Isso é simplesmente inaceitável. Nós esperamos deixar claro que a nossa cidade está aparando essas arestas”.

A proposta visa proibir que o Departamento Xerife não acatasse os pedidos de prisão feitos pelo ICE e somente fazê-lo caso haja um mandado judicial. Proibir funcionários públicos, inclusive policiais, de perguntar o status migratório das pessoas. Não utilizar os recursos financeiros municipais para apoiar ações migratórias. Atualmente, 3 das 4 propostas já estão em vigor. A ordenança as tornaria oficiais e daria à Prefeitura o direito de disciplinar os funcionários que, por ventura, violassem as leis.

Fonte: Redação - Brazilian Times