Publicado em 26/07/2017 as 5:30pm

Advogado de imigração fala sobre notícia de que o “ICE invadirá cidades santuários”

Na semana passada, o diretor interino do Immigration and Customs Enforcement (ICE), Thomas Homan, deixou a comunidade imigrante assustada.

Advogado de imigração fala sobre notícia de que o “ICE invadirá cidades santuários” O advogado Danilo Brack pede calma para a comunidade.

Na semana passada, o diretor interino do Immigration and Customs Enforcement (ICE), Thomas Homan, deixou a comunidade imigrante assustada. No dia 18 ele declarou que “a Administração Trump ‘vai inundaras cidades santuários’ com os novos agentes”. De acordo com o oficial, a maioria dos 10 mil recém-contratados serão designados para localizar e deportar imigrantes em cidades onde as autoridades locais se recusam a cooperar com a agencia de imigração.

A reportagem do Brazilian Times conversou com o advogado especializado em imigração, Danilo Brack. Ele deu a sua opinião a respeito do assunto e deixou claro que não é momento para a comunidade imigrante ficar com medo.

Brack afirma que, em seu entendimento, a “invasão de cidades santuários” não é a ordem do presidente Trump. Para o advogado, o problema é que existe um conflito entre cidades que se recusam a cooperar com as autoridades federais e o governo. “Eu acho que no final tudo não passa de semântica e política”, afirma.

O profissional ressalta, ainda, que muitas cidades que são consideradas santuários, entregam imigrantes criminosos para as autoridades federais e usam a mídia para falar o contrário. “Elas negam que participam e cooperam com a Imigração”, continua.

Brack destaca que “por outro lado, existe o problema que imigração é um estatuto administrativo cível e Cortes Federais já determinaram que por não seguirem os requerimentos judiciais criminais na busca e detenção, os mandados federais se tornam inválidos e colocam as cidades e condados em risco e ameaças de grandes danos materiais enormes por prisões inapropriadas”.

Para o advogado a briga é tanto política, quanto econômica. “O que eu entendi na fala do diretor do ICE é que ele enviará um número enorme de agentes para essas cidades porque elas, publicamente, declararam que não irão contatar a imigração, mesmo que alguém procurado com registro criminal sério seja encontrado pelas autoridades locais”.

Portanto, de acordo com o advogado, se a polícia local não vai cooperar com o governo federal, eles decidiram que o governo federal terá que ter maior presença nestas localidades. “O que mais discordo nesta história é que o aumento de agentes federais de imigração intimidará a população imigrante e diminuirá o número de denúncias de crimes ou ações suspeitas, colocando a população em maior risco”, fala.

Brack finaliza sua análise afirmando que se trata de uma situação muito complexa, onde a melhor solução, principalmente com a recente redução do número de entrada de indocumentados no país, é uma reforma imigratória que alivie a vida de tantas famílias que contribuem para o crescimento do país. “Infelizmente onde tentamos proteger uma minoria, acabamos causando maior dano para a maioria”, finaliza.

Fonte: Redação - Brazilian Times