Publicado em 30/07/2017 as 5:00pm

CASO CAMINHÃO COM IMIGRANTES

Sobreviventes são levados para prisões para serem deportados.

CASO CAMINHÃO COM IMIGRANTES Motorista pode pegar pena de morte

O Governo dos Estados Unidos está encaminhando para centros de detenções os sobreviventes que quase morreram sufocados na traseira do caminhão que foi encontrado em um estacionamento atrás do Walmart, em San Antonio (Texas). Eles, que passaram quase 24 horas trancados em um espaço sem ventilação, ar condicionado e sem a luz do sol, mal esticaram as pernas e já estão sendo colocados em outro local onde serão trancados novamente, a espera do processo de deportação.

Sem levar em conta o trauma que os imigrantes sofreram, a administração Trump ordenou que todos fossem levados para a detenção assim que fossem liberados pelo hospital.

Amy Fisher, diretora do grupo RAICES, que defende os direitos dos imigrantes, disse que a atitude das autoridades federais é desumana, pois os imigrantes estão sendo levados para centros de detenções administrados por uma empresa privada conhecida pela brutal e desumana condição de como administra suas prisões. “Os imigrantes ainda não se recuperaram do pesadelo e já enfrentam outro”, disse.

Foi confirmado que pelo menos um dos imigrantes que morreram cresceu nos Estados Unidos. Ele tinha 19 anos e morava no condado de Fairfax, na Virgínia, depois de chegar aos EUA com seus pais aos dois anos de idade. Após ser condenado por um crime cometido na juventude, ele foi deportado para a Guatemala, onde não conseguiu se adaptar e decidiu retornar ao país.

O motorista do caminhão alegou que não sabia que tinha pessoas na traseira do veículo, mas alguns dos sobreviventes relataram que bateram nas paredes e gritaram por ajuda, por horas, mesmo depois que o caminhão parou.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News