Publicado em 2/08/2017 as 4:00pm

Imigração congela processos de imigrantes de Cuba em Miami e medida pode afetar brasileiros

Para a brasileira e advogada de imigração Renata Castro, a medida vai ter grande impacto não apenas na vida de pessoas de Cuba que residem nos Estados Unidos.

Imigração congela processos de imigrantes de Cuba em Miami e medida pode afetar brasileiros A advogada Renata Castro

O Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS), departamento de Miami-FL, anunciou na quinta-feira (27/07), que estão congelados todos os processos de ajuste imigratórios de cidadãos cubanos em tramitação no país. O anúncio coloca em espera todos os processos de concessão de documentos e status de legalidade e permanência nos Estados Unidos e poderá impactar, inclusive, brasileiros casados com cubanos com processos imigratórios pendentes junto ao órgão.

O departamento, que está sob nova administração, está mapeando outras categorias de processos ligados a Cuba. A decisão de congelamento ocorre pouco mais de seis meses após a Casa Branca revogar a lei que autorizava a permanência de cubanos nos Estados Unidos sem visto.

De acordo com o site Comex do Brasil, a lei permitiu que milhares de cubanos que chegaram aos Estados Unidos nos últimos anos fossem tratados como fugitivos do governo cubano e não fossem deportados como cidadãos de outros países que tentam entrar no país ilegalmente (sem visto de entrada). Esta revogação foi oficializada no dia 12 de janeiro deste ano pelo então presidente Barack Obama, uma semana antes de sua saída do cargo.

Para a brasileira e advogada de imigração Renata Castro, a medida vai ter grande impacto não apenas na vida de pessoas de Cuba que residem nos Estados Unidos, mas também de um grande número de brasileiros que estão em processo de imigração por casamento com cubanos.

“Quando se trata de imigração um congelamento de processos é muito chato. Paralisa a vida da pessoa que mora aqui nos Estados Unidos e quer ter acesso o mais rápido possível ao seu ajuste de status imigratório e documentos que facilitam a vida por aqui. Há aqui na Flórida um grande número de brasileiros que será impactado por esta medida”, pondera Renata Castro.

“Pés Secos, pés Molhados”

Nos últimos anos, milhares de cubanos que vivem nos Estados Unidos foram beneficiados pela legislação chamada de “Pés secos, pés molhados”. A lei estava em vigor desde 1995 e vinha de outra lei adotada em 1966.

Com a legislação revogada, os cubanos que tentavam imigrar só eram devolvidos a Cuba caso fossem encontrados no mar. Se eles conseguissem chegar pela via terrestre – por isso a expressão “Pés secos” – tinham permissão para entrar no país e ganhavam tratamento diferenciado para processos de imigração (obtenção do visto de residente permanente, o famoso Green Card).

Quando foi criada, a lei considerava os imigrantes cubanos como fugitivos da política de Fidel Castro. Mais de três milhões de cubanos vivem nos Estados Unidos, a maioria deles na Flórida.

Fonte: Redação - Brazilian Times