Publicado em 29/09/2017 as 2:00pm

ICE realiza outra Blitz na I-93 em NH

Pela segunda vez em dois meses, agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) e a...

ICE realiza outra Blitz na I-93 em NH Segunda blitz de imigração é realizada na I-93 em dois meses, no estado de New Hampshire.

Pela segunda vez em dois meses, agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) e a Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos (CBP) realizaram uma blitz na Interestadual 93, sentido sul. O ponto de controle exigiu que todos os veículos parassem.

Enquanto uma unidade canina caminhava entre os veículos nas duas pistas do ponto de controle, um oficial perguntava aos motoristas: "Você é cidadão americano?"

O ponto de controle estava no mesmo local em que foi montado, durante um período de três dias, no final de agosto.

Em agosto, no que foi a primeira ação desse tipo em New Hampshire desde julho de 2012, a operação resultou na prisão de 25 imigrantes indocumentados e de outras 46 pessoas, a maioria das quais eram da Nova Inglaterra e acusadas de violações por tráfico de drogas.

A Patrulha da Fronteira disse que apreendeu um total de dois quilos de maconha, bem como quantidades menores de cocaína, cogumelos de alucinógenos e óleo de hash.

"Os pontos de controle de imigração da Patrulha Fronteiriça são uma ferramenta forte para a aplicação das leis de imigração e fazem parte de nossa estratégia de defesa cumprir a missão de segurança da fronteira", disse Stephanie Malin, oficial de assuntos públicos do CBP para Nova Inglaterra.

Enquanto a maioria das patrulhas da fronteira é realizada perto da fronteira, Malin observou que as leis federais "dão aos agentes da Patrulha autoridades gerais para a aplicação da lei, incluindo a autoridade de questionar indivíduos, fazer prisões entre outras coisas.

Em um comunicado, ela escreveu: "um agente pode questionar os ocupantes de um veículo sobre sua cidadania, local de nascimento e solicitar um documento comprovativo do status de imigração, como o status legal foi obtido e fazer observações rápidas do que está em vista interior do veículo".

Malin disse se um ocupante se recusa a responder as perguntas, "o agente pode deter o motorista por um período de tempo razoável até que ele ou ela possa fazer um esclarecimento quanto ao status de imigrante do ocupante".

Ela resumiu que a CBP está comprometida com o tratamento justo, imparcial e respeitoso de todos os membros do comércio e de quem viaja pelo país, e a política proíbe a consideração de raça ou etnia em atividades na aplicação da lei, investigação e triagem, em todos, exceto os casos mais excepcionais.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News