Publicado em 8/10/2017 as 5:00pm

Acusado de agredir ex-namorada por ela não aceitar aborto, brasileiro é entregue para o ICE

Um homem de Brockton (Massachusetts) agrediu a sua ex-namorada grávida porque ela se recusou a...

Acusado de agredir ex-namorada por ela não aceitar aborto, brasileiro é entregue para o ICE O brasileiro foi detido pelo ICE sair do tribunal.

Um homem de Brockton (Massachusetts) agrediu a sua ex-namorada grávida porque ela se recusou a fazer um aborto, de acordo com um Promotor, a qual afirmou que o agressor é o brasileiro Nilton Gomes, de 28 anos de idade.

A agressão aconteceu no dia 30 de setembro e, de acordo com a acusação, o brasileiro teria dito para a mulher que a mataria se ela não estivesse grávida.

A suposta vítima não informou a agressão até esta terça-feira, dia 03, porque disse que estava com medo, conforme denunciou o Promotor Tim Cochrane, durante a audiência no Tribunal Distrital de Framingham (MA).

A mulher e Gomes namoraram por oito meses e terminaram o relacionamento recentemente. Ele foi ao apartamento dela no dia 30 de setembro para discutir sobre o bebê que ela está esperando.
“O réu se opôs à decisão da vítima em prosseguir com a gravidez”, disse Cochrane. Quando a mulher disse para o brasileiro que não desistira do bebê, ele a agarrou pela garganta e ela apertou as mãos dele para que a soltasse.

A polícia prendeu Gomes no 142 North Warren Street, na terça-feira, às 5:14 p.m. e o acusou de agressão e lesão corporal a uma mulher grávida.

O Promotor pediu ao Juiz David Cunis para manter Gomes preso mediante uma fiança de $1,500. O brasileiro não tem registro criminal e não possui laços familiares locais.

O advogado de Gomes, Justin Wing, disse que a história apresentada pela mulher é falsa. Ele alega que seu cliente quer ser pai e ficou bravo porque a mulher aceitou dinheiro de outro homem para pagar o aborto. “A discussão foi apenas verbal e não houve agressão”, afirma.

O juiz liberou o brasileiro sem precisar pagar fiança, determinando que ele fique longe e não tenha contato com a suposta vítima. Gomes voltará ao tribunal em 6 de dezembro para uma audiência de pré-julgamento.

Depois que ele foi libertado, agentes federais de imigração o levaram sob custódia por ele estar no país ilegalmente.

Fonte: Redação - Brazilian Times