Publicado em 11/10/2017 as 10:00am

Legisladores de Framingham (MA) impulsionam projeto para proteger imigrantes

O Deputado Chris Walsh (D-Framingham) apoia o “Safe Communities Act” como um importante...

Legisladores de Framingham (MA) impulsionam projeto para proteger imigrantes Senador Jamie Eldridge quer imigrantes seguros.

O Deputado Chris Walsh (D-Framingham) apoia o “Safe Communities Act” como um importante passo em defesa das comunidades “extremamente valiosas” da cidade.

“Nós temos muitas comunidades imigrantes que entram na nossa área e elas se tornam parte da nossa alma”, disse Walsh. “Nossa polícia local está aqui para ajudar a comunidade local e isso não significa fazer o trabalho das autoridades federais”, continuou.

O plano, apresentado pelo Senador Jamie Eldridge (D-Acton), vai, entre outras coisas, garantir que os recursos estaduais não serão usados para promover as leis federais de imigração e proibir o apoio estatal para qualquer registro muçulmano.

Mais de 100 organizações apoiaram endossaram até agora, e aproximadamente metade dos legisladores co-patrocinaram, incluindo Walsh. Também ganhou apoio dos chefes de polícias de Massachusetts.

“Você tem o governo federal que remendado a imigração por décadas. Isso é horrível”, disse Walsh. “E eles estão indo de um extremo a outro. Eles afirmam que os agentes federais estão só procurando pessoas perigosas, mas parece que a realidade é muito diferente, e eu sinto que eles querem federalizar nossa polícia local”, acrescenta.

Cinquenta imigrantes em Massachusetts foram detidos em uma operação nacional do Immigration and Customs Enforcement (ICE), na semana passada, que resultou na prisão de 498 imigrantes em todo o país.

O diretor do ICE, Thomas Homan, disse em um comunicado que “jurisdições santuários que não cumprem os pedidos de custódias da agência ou não permitem o acesso às cadeias protegem imigrantes criminosos da aplicação das leis e criam um imã para indocumentados”.

Ele ressaltou que isso obriga o ICE a dedicar mais recursos para realizar prisões em grande escala nessas comunidades.

Walsh disse que o policiamento comunitário é muito diferente do ICE e do FBI, uma vez os critérios destas agências em relação as detenções de imigrantes diferem dos departamentos de polícias locais. “O policiamento comunitário realmente depende da força policial entender a comunidade”, disse.

Eldridge acrescentou que os legisladores devem se unir e dizer que “não vão permitir que que o Estado dedique dólares dos contribuintes e nem permita que a aplicação das leis estaduais e locais colaborem para as ordens de deportação de Trump”.

O projeto de lei é consistente com os padrões constitucionais aplicáveis a todas as pessoas na comunidade, segundo Eldridge. Isso permitiria que os imigrantes detidos em instalações estaduais e locais fossem informados - em sua língua de origem - que eles têm o direito de recusar uma entrevista com os agentes da ICE e ter o seu próprio advogado presente se assim o desejarem, garantindo direitos básicos de processo devido. "Em relação aos imigrantes indocumentados que não cometeram crimes ou talvez tenham cometido um pequeno delito há 10 ou 20 anos, não é certo que a polícia local ajude os agentes da ICE a deportar essas pessoas", disse o senador.

Eldridge disse que os legisladores estão trabalhando em estreita colaboração com os chefes de polícia sobre o aspecto do projeto.

Mark K. Leahy, diretor executivo dos Chefes de Polícia de Massachusetts, disse que apoia o plano porque os policiais do estado passaram anos construindo fortes relacionamentos com toda a comunidade. "Quando os oficiais da ICE usam jaquetas com a escrita ‘police’, sentimos nojo disso ", disse. "Nós respeitamos o que eles fazem, mas eles têm o seu trabalho, e esse é o nosso".

Leahy disse que o único problema que ele tem com o projeto de lei são os aspectos que procuram evitar a comunicação entre o departamento de polícia local com órgãos federais. "Agora é imigração, no próximo ano poderia ser o Internal Revenue Service, em impostos", disse Leahy. "Nós não concordamos em evitar a comunicação", acrescentando que ele concorda que o projeto de lei é importante para garantir que as comunidades de imigrantes se sintam confortáveis mantendo contato com a força policial local.

“Estamos aqui para servir a todos", disse Leahy. "De onde você é, se você está legal ou não, não é nosso interesse. Mas se você é vítima de um crime, é do melhor interesse de todos que se sinta à vontade para relatar o crime. Nós temos criminosos que se alimentam da comunidade de imigrantes porque eles sabem que existem vítimas que não chamarão a polícia", continuou.

Leahy chamou a atenção para o número "imenso" de imigrantes que vivem em Framingham. De acordo com o US Census Bureau de 2015, 26,5 por cento dos residentes da cidade eram imigrantes. De todas as cidades dos EUA, City Data lista Framingham como o quarto maior percentual de moradores nascidos no Brasil, que compõem 9% dos 68.318 habitantes da cidade.

O Brazilian Worker’s Center, fundado por imigrantes em 1997, serve para representar, apoiar e organizar a comunidade brasileira. De acordo com a diretora-executiva, Natalícia Tracy, o centro luta contra o programa federal “Secure Communities” desde 2010, com o Centro Presente, uma organização para imigrantes latinos em Massachusetts.

“Continuamos a apoiar os direitos dos trabalhadores imigrantes para terem um tratamento justo e respeito com os direitos humanos básicos", disse Tracy. "Apoiamos o projeto Bill Safe Communities, apoiamos cidades santuários e denunciamos práticas racistas e xenófobas e a criminalização de nossa comunidade trabalhadora", continuou.

O governador Charlie Baker se opôs ao projeto, em um comunicado de imprensa. "Nosso governo não apoia fazer da comunidade um estado santuário e insta o Legislativo a reconsiderar maneiras de garantir que Massachusetts permaneça como um lugar acolhedor enquanto mantém a segurança pública", disse Baker.

Encorajado por vários co-patrocinadores, Eldridge observa que a oposição de Baker pode mudar. "É importante lembrar que durante seus dois anos mais como governador, Baker mudou sua posição em coisas como direitos de transgênero ", finaliza.

Fonte: Redação - Brazilian Times