Publicado em 3/11/2017 as 9:00am

ICE prende brasileiro acusado de violência doméstica em Famingham

De acordo com a denúncia, Douglas agrediu a sua namorada grávida e isso provocou um aborto.

Uma agressão cometida pelo brasileiro Douglas Gonçalves, 26 anos, levou a sua namorada a ter um aborto, de acordo com a denúncia apresentada no Tribunal Distrital de Framingham (Massachusetts), nesta quarta-feira (1º).

A polícias prendeu Douglas depois que sua namorada reportou uma agressão sofrida por ela no dia 12 de outubro, informou o Promotor Dylan Krasinski, durante a audiência de acusação.

A mulher foi ao Departamento de Polícia da cidade, na quarta, para denunciar o abuso. De acordo com vítima, no incidente de outubro, o casal estava em seu apartamento, no 35 Frederick Street, quando ela foi agredida.

“Ele desferiu um soco no rosto dela, acertando o queixo”, disse Krasinski. “Isso a fez cair com o estômago na quina da cama. Na época, ela estava grávida de três meses”, continuou.

Três dias depois da agressão, a mulher foi ao MetroWest Medical Center, em Framingham. Depois de alguns exames, os médicos disseram que ela havia abortado.

De acordo com o Promotor, em setembro, o brasileiro também teria agredido a namorada. “Douglas a agrediu dentro do carro do casal e a ameaçou”, disse. "Ele disse que se ela fosse à polícia, ele mataria o filho e mãe dela que moram no Brasil ", continuou.

O Promotor destacou, ainda, que o brasileiro ameaçou a namorada dizendo que “gostaria que seus amigos americanos a denunciado para a Imigração e a deportado".

O brasileiro foi acusado de agressão, violência doméstica e intimidação de testemunha.

O promotor pediu à juíza Jennifer Stark para declarar Douglas como um perigo para o público e mantê-lo preso sem direito a fiança. A vítima, ao obter uma ordem de restrição, disse que o namorado a agredia há muito tempo.

"Estou com medo por causa do que aconteceu", disse ela. "Ele manipula minha mente, fazendo-me pensar que eu estou errado e sou a culpada".

O advogado do brasileiro, Thomas Glynn, disse que o aborto espontâneo foi infeliz e causou depressão à suposta vítima. "Isso colocou uma pressão sobre o relacionamento do casal", disse. "No dia que ela fez a denúncia, ele arrumou suas malas e saiu de casa. Ela ficou com raiva e fez essas denúncias", afirmou.

A juíza estabeleceu a fiança do brasileiro em US $ 500 e determinou que ele se mudasse para a casa de sua mãe, na Willis Street. Ela também ordenou a Gonçalves que não tivesse contato com a vítima.

Depois que o brasileiro depositou a fiança, os agentes federais do Immigration and Custom Enforcement (ICE) o prenderam no tribunal.

Douglas está agendado para retornar ao Tribunal no dia 9 de janeiro

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News