Publicado em 22/11/2017 as 8:00am

Brasileiro acusado de esfaquear colega de trabalho pode pegar 20 anos de prisão e deportação

O jovem brasileiro acusado de esfaquear um companheiro de trabalho em um restaurante na cidade...

Brasileiro acusado de esfaquear colega de trabalho pode pegar 20 anos de prisão e deportação O jovem Rogério ficará preso até a proxima audiência.

O jovem brasileiro acusado de esfaquear um companheiro de trabalho em um restaurante na cidade de Peabody (Massachusetts), no domingo (19), teve a sua primeira audiência nesta segunda-feira (20). Ele ficará preso sem direito a fiança e responderá pela acusação de tentativa de homicídio de um chefe de cozinha do restaurante Century House.

Rogério Silva Thomaz dos Reis, 18, teria esfaqueado o chefe após ser repreendido por ele de que não estava fazendo o serviço corretamente, de acordo com relatos de testemunhas para a polícia local.

O pai do acusado, Rogério Teixeira, 54, também foi preso e teve uma fiança estipulada no valor de US$5,000. Ele, que trabalha no mesmo restaurante, teria ajudado o filho a fugir do local do crime.

A vítima foi esfaqueada no estomago, de acordo com relatórios policiais. O homem foi levado ao Hospital Geral de Massachusetts onde passou por uma cirurgia. Em seguida ele foi colocado em uma máquina de respiração.

Testemunhas disseram aos investigadores que ouviram o chefe gritar que tinha sido esfaqueado e depois o viram ele tentando impedir que o brasileiro o esfaqueasse pela segunda vez, colocando um carrinho cheio de bandejas entre eles.

A vítima então escorregou e caiu no joelho. Quando o brasileiro se preparou para esfaqueá-la pela segunda vez, um cozinheiro segurou o seu braço e evitou que a segunda facada, de acordo com o relatório.

Foi quando o pai, que também trabalha como lavador de louças no restaurante, puxou o filho para longe, e os dois saíram por uma porta no fundo o restaurante. Uma garçonete, abalada, chamou a polícia enquanto outros funcionários ajudavam a vítima que sangrava bastante.

O dono do restaurante forneceu os nomes e endereços dos dois funcionários, bem como o número de telefone do pai do acusado. De posse das informações, a polícia iniciou uma investigação que terminou no 111 Central Street, onde ambos foram encontrados.

De acordo com os policiais, o jovem estava vestindo várias camadas de roupas e tinha meias extras, o que indicava que estava prestes a fugir. Na delegacia, ele foi convidado, com a ajuda de um intérprete em português Dos Reis, na delegacia de polícia, foi convidado com a ajuda de um intérprete português, se gostaria de falar com os oficiais. Ele rejeitou e pediu a presença de um advogado.

A polícia está de posse da faca que supostamente foi usada no ataque. À medida que os oficiais questionavam testemunhas, perceberam que um dos cozinheiros havia pego a faca coberta de sangue.

A polícia também descobriu que o jovem usou o telefone de seu pai, depois de fugir, para ligar para um colega de trabalho, a quem ele pediu para mantê-lo atualizado sobre o que estava acontecendo no restaurante, de acordo com o relatório.

Se condenado pela acusação mais séria, tentativa de assassinato, o brasileiro pode enfrentar uma pena de até 20 anos em uma prisão estadual. Ele também é acusado de agressão e lesão corporal com uma arma. Uma audiência para determinar se ele representa um perigo se for colocado em liberdade está agendada para segunda-feira, dia 27.

O juiz James Barretto observou em documentos judiciais que o pai também pode enfrentar uma pena de prisão potencialmente significativa por seu papel na assistência a seu filho.

Não foi confirmado, mas as autoridades estão investigando se o jovem está vivendo ilegalmente nos Estados Unidos e isso tornou-se assunto para um pedido de custódia do Immigration and Customs Enforcement (ICE). Mas os tribunais de Massachusetts não são mais obrigados a cumprir os pedidos de custódia da agência de imigração. Pai e filho podem enfrentar deportação para o Brasil se forem condenados.

Um relatório da polícia indica que o restaurante recebeu uma cópia do passaporte do jovem e o que a polícia relatou ser um falso cartão de Social Security.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News