Publicado em 24/11/2017 as 11:00am

GMB condena fim de TPS para imigrantes haitianos

O jornal Brazilian Times publicou em sua última edição o anúncio feito pela administração...

GMB condena fim de TPS para imigrantes haitianos Haitianos esperam que o cancelamento do TPS seja anulado

O jornal Brazilian Times publicou em sua última edição o anúncio feito pela administração Trump sobre o fim do TPS (Status Proteção Temporária) para imigrantes do Haiti. A decisão vai expulsar dos Estados Unidos cerca de 60 mil haitianos, dos quais quase 5 mil vivem em Massachusetts. Após a notícia, o Grupo Mulher Brasileira emitiu uma nota condenando veementemente a decisão do governo federal.

O GMB está solidário com nossas irmãs e nossos irmãos haitianos, bem como com os nicaraguenses, os salvadorenhos, os estudantes e todos os imigrantes perseguidos. Nós reafirmamos nosso compromisso de lutar contra toda e qualquer forma de opressão, discriminação e tentativa de perseguição de nossas famílias.

O governo federal está brincando perigosamente com a vida de mulheres, homens e crianças, fomentando o medo e a insegurança. Nossas comunidades vivem em um campo minado, andam em areia movediça, e estão paralizadas como se tivessem uma espada prestes a cair em suas cabeças.

A decisão, às vésperas do Dia de Ação de Graças, é particularmente cruel. O Dia de Ação de Graças é o momento em que nos reunimos em família e em comunidade para darmos graças pelos momentos e conquistas da nossa vida. Um governo digno aproveitaria o simbolismo deste feriado para dar Graças pela presença dos imigrantes nos Estados Unidos, dar Graças pelo trabalho duro de haitianos, nicaraguenses, salvadorenhos, estudantes e de todos os imigrantes que deixaram sua terra natal em busca de uma vida melhor para suas famílias. A contribuição dos imigrantes à economia do país é indiscutível e, no caso dos haitianos, afeta particularmente os setores de saúde e educação onde muitos se inserem.

Nossos legisladores e o governador Baker têm a responsabilidade de garantir a segurança e a estabilidade do nosso povo. É o momento de passarmos o Ato Comunidades Seguras. A hora é essa, o momento é este. Não podemos esperar ou confiar em um governo xenófobo, de supremacia branca, oppressor e que não nos respeita como seres humanos.

Está em nossas mãos, nas mãos do povo e dos legisladores, desafiar a autoridade opressora que divide e persegue nossas comunidades, e passar leis justas que protegerão e fortalecerão nossas comunidades.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News