Publicado em 6/12/2017 as 9:00am

DHS divulga dados de 2017 e relata mais de 200 mil deportações

Nesta terça-feira, dia 05, o Department of Homeland Security (DHS) anunciou os números de as...

DHS divulga dados de 2017 e relata mais de 200 mil deportações Dados mostram mais de 200 mil deportações neste ano.

Nesta terça-feira, dia 05, o Department of Homeland Security (DHS) anunciou os números de as ações realizadas pela agência neste ano e o resultado de impor com rigor as leis para proteger a integridade do sistema legal de imigração e garantir a segurança do cidadão estadunidense.

De acordo com os dados apresentados, no ano fiscal de 2017, o Immigration and Customs Enforcement (ICE) e a Patrulha de Fronteira registraram 310.531 apreensões em todo o país, dos quais 303.916 foram anotados ao longo da fronteira sudoeste do país. Com isso o DHS cita a importância da construção de uma barreira física na fronteira, ou seja a construção de um muro.

Além disso, no ano fiscal de 2017, o ICE, através do Enforcemente and Removal Operations (ERO) realizaram 143.470 detenções e 225.119 deportações.

Para os diretores do DHS, 2017 marcou um ano bem sucedido nos esforços para a aplicação da lei e manter a “América segura”, reduzindo a imigração ilegal na fronteira, desmantelando empresas que usavam a mão de obra de imigrantes sem autorização para trabalhar no país.

Mesmo assim, o DHS relatou que ainda existem muitos desafios para que os agentes possam impor as leis de imigração forma eficaz em todo o país. As prioridades de imigração da Administração Trump, anteriormente anunciadas, abordariam esses desafios, aumentando a segurança das fronteiras, implementando um sistema de imigração baseado em mérito e fechando lacunas que incentivam a imigração ilegal.

"Nós vimos claramente os resultados bem-sucedidos do compromisso do presidente em apoiar os oficiais da linha de frente e agentes do DHS na medida em que aplicam a lei e protegem nossas fronteiras", disse a secretária interina Elaine Duke. "Temos a obrigação de manter a integridade do nosso sistema de imigração, mas devemos fazer mais para intensificar e fechar lacunas e proteger o trabalhador norte-americano, nossa economia e nossas comunidades".

O vice-comissário, Ronald Vitiello, disse que durante o ano de 2017 “pode-se notar números históricos em relação a redução na imigração ilegal”. Mas ele também destacou a preocupação com o aumento significativo no contrabando de opioides e outros produtos do narcotráfico, incluindo heroína e cocaína. “Esse aumento sempre acontece quando há uma intensa travessia ilegal de imigrantes na fronteira”, explicou.

Os resultados, de acordo com o vice-diretor do ICE, Thomas Homan, provam o que seus agentes podem realizar se forem capacitados e receberem apoio para cumprira missão. Ele acrescentou que a agência precisa manter o foco, combinando a dedicação e a condução dos oficiais com os recursos que precisam para executar operações em níveis maiores. “Também precisamos encontrar uma solução para as perigosas políticas das cidades do santuário e os políticos que desnecessariamente arriscam vidas inocentes para proteger criminosos que estão ilegalmente nos Estados Unidos", afirmou.

Fonte: Redação - Brazilian Times