Publicado em 26/01/2018 as 12:00pm

Governo Trump faz novas ameaça a cidades santuários

As ameaças aconteceram nesta quarta-feira, dia 24, e foram dirigidas para 23 localidades.

Governo Trump faz novas ameaça a cidades santuários O Departamento de Justiça diz que 23 jurisdições santuários não estão cooperando com a repressão contra os imigrantes em situação irregular.

Nesta quarta-feira, dia 24, a administração Trump fez sérias advertências a cidades e jurisdições consideradas “santuários para imigrantes”. De acordo com o Departamento de Justiça (DoJ) existem pelo menos 23 cidades, condados e estados que não cumpriram a ordem de compartilhamento, pela polícia local, de informação sobre prisões com oficiais federais de imigração.

Em cartas enviadas para estas jurisdições, o departamento exigiu a entrega de qualquer documento que possa provar uma política de falta de cooperação deliberada, e advertiu que, se não cooperarem, elas serão processadas.

A administração Trump relatou que as cidades santuário protegem os imigrantes ilegais, incluindo os acusados ou condenados por crimes graves, de serem presos e expulsos por agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE).

“Proteger os imigrantes delinquentes das autoridades federais de imigração desafia o sentido comum e mina o Estado de direito. Vimos muitos exemplos da ameaça à segurança pública representada por jurisdições que criam obstáculos ativamente à aplicação de leis migratórias do governo federal. Já é suficiente”, escreveu o departamento na carta.

Conforme as informações, entre as 23 jurisdições que desafiaram as ordens de entregar ao ICE os imigrantes em situação ilegal presos localmente estão cidades importantes como San Francisco, Denver e Louisville, e estados como Illinois e Oregon.

As jurisdições “santuário” dizem que não é seu trabalho cumprir as leis federais de imigração e que o governo persegue milhares de pessoas que viveram no país durante anos com famílias e negócios estabelecidos.

Se não forem cumpridos, o DoJ pode negar a esses santuários recursos federais para programas locais de aplicação da lei.

Fonte: Redação - Brazilian Times