Publicado em 8/02/2018 as 5:00pm

Promotor acusa imigrante ilegal por morte de jogador da NFL e critica Trump

Manuel Orrego-Zavala, da Guatemala, dirigia embriagado quando matou Edwin Jackson, linebacker do Indianapolis Colts, e seu motorista, Jeffrey Monroe. Promotor criticou uso político inapropriado do caso pelo presidente.

Um imigrante em situação ilegal da Guatemala, suspeito de causar a morte do jogador de futebol americano Edwin Jackson em um acidente de carro nos Estados Unidos, foi acusado nesta quarta-feira (7) por um promotor, que também criticou o presidente Donald Trump por "politizar" a tragédia.

O linebacker do Indianapolis Colts e o motorista de seu carro, Jeffrey Monroe, faleceram no domingo após serem atingidos por uma caminhonete dirigida pelo imigrante sem documentos de 37 anos, que estava embriagado. Segundo a Polícia, ele atropelou os dois homens quando estavam parados ao lado da estrada e tentou fugir.

Recaem sobre Manuel Orrego-Zavala no estado de Indiana quatro acusações por ter fugido do local e por provocar um acidente fatal ao dirigir embriagado.

Na terça-feira, Trump relacionou a tragédia à sua batalha política para endurecer as leis de imigração. Mas o promotor de Indiana a cargo do caso repreendeu o presidente e outros por fazerem isto.

"O comentário público macabro e inapropriado que politizou esta tragédia nos desanima", disse o promotor do condado de Marion, Terry Curry, em comunicado.

"Grande parte desses comentários, incluindo os tuítes do presidente, não reconhecem que tanto Edwin Jackson como Jeffrey Monroe perderam a vida no domingo. Simplesmente buscaremos justiça em nome das famílias dessas duas vítimas", assegurou.

Orrego-Zavala supostamente tentou fugir da cena do acidente, mas foi pego por um oficial da polícia estadual. O homem já havia sido deportado em duas oportunidades anteriores e preso várias vezes na Califórnia por dirigir embriagado.

Trump, que costuma relacionar os imigrantes em situação ilegal com atos criminosos, exige que a oposição democrata aprove fundos milionários para construir um muro na fronteira com o México. Segundo ele, isto irá assegurar a segurança nacional.

"É muito vergonhoso que uma pessoa ilegal em nosso país tenha matado o linebacker dos @Colts Edwin Jackson. Esta é apenas mais uma das muitas tragédias previsíveis. Temos que conseguir que os democratas sejam rígidos na fronteira e com a imigração ilegal, RÁPIDO!", tuitou na terça.

Orrego-Zavala também foi acusado de entrar novamente nos Estados Unidos de forma ilegal, um crime punido com até 10 anos de prisão. Segundo informações da Justiça, agentes de imigração o prenderam e deportaram em outubro de 2006, e novamente em março de 2009.

Fonte: Por France Presse

Top News