Publicado em 14/02/2018 as 9:00am

Brasileiro continua luta por Green Card após ser liberado pelo ICE

"Ainda temos um longo caminho a percorrer. Neste momento, não tenho a certeza de que poderei ficar aqui", disse Fabiano de Oliveira após ganhar a liberdade.

Brasileiro continua luta por Green Card após ser liberado pelo ICE Fabiano quer curtir a liberdade ao lado da esposa e o filho.

Depois de mês trancado em um centro de detenção para imigrantes, o brasileiro Fabiano de Oliveira, 33 anos, está livre e repousando em sua casa, na cidade de Beverly (Massachusetts). Ele foi preso por agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) enquanto estava em uma entrevista para a obtenção do Green Card através do casamento com uma cidadã dos Estados Unidos.

Mesmo após o sofrimento na prisão, ele disse, que não “perdeu o sonho americano e a vontade de crescer neste país”. Ele ressalta que a vida os imigrantes encontram nos EUA jamais encontrariam no Brasil. “Lá meu filho não teria uma educação adequada e aqui as chances dele são melhores”, continuou.

Fabiano é casado com a cidadão dos EUA Karah de Oliveira, 27, com quem tem um filho de 5 anos, que nasceu neste país. Ele foi libertado na sexta-feira, dia 09, Plymouth County Correctional Facility, onde estava desde o dia 9 de janeiro.

Na manhã da prisão, ele e sua esposa estavam sendo entrevistados para uma petição de casamento em Lawrence (MA), no o escritório federal de Serviços de Cidadania e Imigração (USCIS, sigla em inglês), para provar que sua união era legal. A entrevista é o primeiro passo para obter um Green Card.

Enquanto o casal recebia a petição, Fabiano foi detida pelos agentes do ICE que apresentaram uma ordem de deportação porque ele está no país ilegalmente desde 2005.

Enquanto estava na prisão, o brasileiro compartilhou uma cela com outros quatro homens que enfrentavam a deportação.

Quando ele perdeu a liberdade, disse que era difícil estar sem a família, sem saber quando seria a próxima audiência. Ele disse que os imigrantes indocumentados que enfrentam a deportação precisam procurar um poder superior. "Orar. Foi o que me manteve calmo e muito forte durante todo esse tempo, eu estava na prisão. Você vê como as pessoas ficam estressadas lá dentro. A Bíblia e Deus. Foi o que me ajudou", disse em uma entrevista para o Boston Herald.

O advogado de Fabiano, Jeffrey Rubin, disse que seu registro está quase impecável, com apenas uma mancha que incluiu uma condução por dirigir licença.

Rubin disse que seu cliente terá que visitar o escritório do ICE periodicamente e que está a usar uma pulseira de GPS no tornozelo direito. O advogado disse que conseguiu a libertação depois de chegar a um acordo com o escritor do Procurador-geral dos Estados Unidos, em Boston (MA), e funcionários federais de imigração, em Washington, DC. "Nós passamos um mês vendo essa família sofrer. Mas eles estão muito felizes e podem voltar a se sentir como uma família saudável e estável", disse.

Um funcionário da ICE disse em um comunicado: "O ICE faz determinações de custódia caso a caso, considerando todos os méritos e fatores de cada caso, respeitando as atuais prioridades, diretrizes e mandatos legais da agência".

Fabiano, que trabalha como pintor, disse que ele e sua esposa continuarão o processo de imigração, mas sabe que nada é garantido. "Estou feliz por estar em casa. Espero que esse pesadelo termine em breve", disse. "Está ficando melhor, mas ainda temos um longo caminho a percorrer. Neste momento, não tenho a certeza de que poderei ficar aqui", finaliza.

Fonte: Redação - Brazilian Times