Publicado em 26/02/2018 as 3:00pm

Deportações de imigrantes não criminosos triplicam

A maioria das pessoas detidas por oficiais do Immigration and Customs Enforcement (ICE) não...

Deportações de imigrantes não criminosos triplicam Ações do ICE não perdoam nem os imigrantes sem registros criminais.

A maioria das pessoas detidas por oficiais do Immigration and Customs Enforcement (ICE) não têm registros criminais, conforme dados divulgados na sexta-feira (23), refletindo o compromisso da administração Trump em lançar uma rede mais ampla para combater a imigração ilegal nos Estados Unidos.

O ICE disse que 65 por cento das prisões realizadas entre outubro a dezembro eram criminosos, em comparação com 82 por cento durante os três meses finais da administração Obama.

Ainda de acordo com os dados, as prisões de criminosos subiram 14%, indo de 22 484 para 25,626, mas as prisões de não criminosos quase triplicaram de 4.918 para 13,548.

No geral, houve 39.174 prisões de imigrantes de outubro a dezembro, um número bem maior do que no mesmo período do governo Obama, que foi de 27.402. O aumento de 43% é fruto dos esforços do Trump contra a imigração ilegal desde que assumiu o cargo.

Durante o ano fiscal de 2017, que incluiu quase quatro meses sob Obama, 74 por cento dos imigrantes presos tinham condenações criminais e 16 por cento casos pendentes na justiça, de acordo com o ICE. Os crimes mais comuns eram dirigir sob influência, drogas, outras infrações de trânsito e violações das leis de imigração.

A administração disse que as pessoas com histórico criminal continuam sendo uma prioridade, mas que qualquer um que estiver ilegal no país não está imune aos ataques do ICE. Muitos com laços profundos e duradouros no país, que viveram sem problemas e receberam autorização para permanecer sob o governo Obama, agora estão com medo e receberam ordens de sair dos EUA.

Em fevereiro, o ex-secretário de Segurança Interna, John Kelly, agora chefe de gabinete de Trump, destruiu a política da administração DE Obama de limitar as deportações para pessoas que representam uma ameaça à segurança pública, criminosos condenados e aqueles que atravessaram a fronteira recentemente. Desta forma, qualquer pessoa que está ilegalmente no país se tornou vulnerável às prisões e deportações.

O escritório do ICE em Dallas (Texas) registrou a maioria das prisões durante o último período de três meses, seguido de Atlanta e Houston.

Fonte: Redação - Brazilian Times