Publicado em 8/08/2018 as 8:20am

Funcionário da Imigração, com Aids, é acusado de abusar sexualmente de crianças em centro de detenção

Um funcionário do Departamento de Imigração dos Estados Unidos, que soro positivo, foi...

Funcionário da Imigração, com Aids, é acusado de abusar sexualmente de crianças em centro de detenção Levian Pacheco é acusado de forçar até sexo anal com menores.

Um funcionário do Departamento de Imigração dos Estados Unidos, que soro positivo, foi acusado de abusar sexualmente de pelo menos oito meninos imigrantes em um centro de detenção no Arizona.

De acordo com as informações, Levian Pacheco, de 25 anos, enfrenta 11 acusações relacionadas a sexo, incluindo alegações de que ele praticou sexo oral com dois adolescentes e tentou forçar outro a penetração anal.

Todas as vítimas tinham entre 15 e 17 anos de idade. Os outros seis adolescentes acusaram Pacheco de tocá-los por cima das roupas. Os supostos crimes ocorreram entre agosto de 2016 e julho de 2017, de acordo com um processo judicial divulgado na semana passada.

Pacheco foi indiciado em agosto de 2017 e o caso está agora tramitando no Tribunal Distrital de Phoenix. Ele se declarou inocente e negou as acusações em documentos judiciais.

O advogado de Pacheco, Benjamin Good, não atendeu à imprensa e não quis comentar o assunto.

Pacheco foi contratado para exercer atividades de cuidados a jovens na Casa Kokopelli, no centro de detenção da Southwest Key em Mesa, no Arizona.

O centro foi citado pelo Departamento de Serviços de Saúde do Arizona, em 2017 por não ter executado checagem de antecedentes dos seus funcionários.

Ainda de acordo com informações judiciais, Pacheco trabalhou no abrigo por quase quatro meses sem uma verificação completa do seu histórico. Uma revisão posterior de seus registros não mostrou nenhuma detenção ou condenação por delito sexual.

Kenneth Wolfe, um porta-voz do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, disse que a agência emitiu uma ordem e removeu todos os menores desacompanhados das instalações da Casa Kokopelli. Ele se recusou a dizer quando o pedido foi emitido.

A notícia das acusações ocorre em meio a um dos maiores problemas de Trump em relação a crianças imigrantes separadas dos pais e colocadas sozinhas em centros de detenção. Conforme relatórios recentes, mais de 2500 crianças enfrentaram a situação de separação.

Embora Pacheco supostamente tenha cometido os crimes antes da atual crise, há outros relatos mais recentes de crianças sendo maltratadas em centros de detenção desde que a política de “Tolerância Zero”, do presidente Trump, foi implantada em abril.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News