Publicado em 12/09/2018 as 10:00am

Brasileira tenta “salvar” filha que mora nas ruas de Chicago

A cozinheira Maria Aparecida Lemos dos Reis, 58 anos, de Araçatuba (São Paulo, já não sabe...

A cozinheira Maria Aparecida Lemos dos Reis, 58 anos, de Araçatuba (São Paulo, já não sabe mais a quem recorrer para tentar a ajudar a filha, Ana Paula Guimarães, 37, que há 14 anos reside nos Estados Unidos e trabalhava em uma concessionária de automóveis.

De acordo com ela, a filha adoeceu no início deste ano e, sem dinheiro para pagar o tratamento médico e honrar os compromissos, foi despejada de onde morava.

Segundo a mãe, a menina mora nas ruas de Chicago (Illinois), tem dificuldade para se locomover, devido a trombose nas duas pernas, e não consegue ajuda de ninguém, nem mesmo para voltar para o Brasil. “Nunca pensei que fosse assim. Eu pensava que as pessoas tinham o lado humano, mas ele não existe”, comenta a cozinheira, referindo-se principalmente a políticos a quem pediu ajuda.

A história chegou ao público através do jornal Folha da Região.

Maria Aparecida conta que Ana Paula trabalhou em uma concessionária de automóveis na avenida Brasília, em Araçatuba, até 2004, quando, em viagem com familiares ao Rio de Janeiro, recebeu uma proposta para trabalhar em uma concessionária em Washington, capital dos Estados Unidos.

Ela aceitou o convite, tirou o Visto de Trabalho e mudou-se para a América do Norte. Após cinco anos, essa empresa faliu e a araçatubense mudou-se para Chicago, onde passou a trabalhar como corretora de imóveis, de acordo com a mãe.

Porém, em janeiro deste ano, Ana Paula foi hospitalizada para tratamento de uma pneumonia e, segundo a mãe, o quadro se agravou para uma complicação renal. Ela precisou fazer sessões de hemodiálise e contou com ajuda financeira dos pais para o tratamento.

Maria Aparecida afirma que juntou o dinheiro de uma rescisão trabalhista, fez três empréstimos, refinanciou o carro e mandou o que conseguiu para custear o tratamento. O marido dela também mandou o que podia para ajudar a filha. “Agora, até a minha casa está alienada em banco”, informa.

O problema, de acordo com a cozinheira, é que o dinheiro acabou e, sem poder pagar pelo tratamento, o hospital dispensou a brasileira que, por ter sido despejada, está morando na rua. “Estou falando com você agora e não sei se ela está viva”, comentou durante a entrevista.

A mãe informa que já procurou a Embaixada dos Estados Unidos do Brasil, o Consulado, o serviço de imigração, mas não conseguiu nenhum tipo de ajuda.

A Embaixada dos Estados Unidos no Brasil informou que a família da brasileira deve procurar pelo Consulado do Brasil nos Estados Unidos ou Itamaraty, em Brasília, que são os responsáveis por brasileiros no exterior. Segundo o órgão, deve ser informada a cidade onde ela está para que possam ajudar de alguma maneira.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News