Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 10/10/2018 as 8:00am

Casal mexicano é suspeito de vender partes dos corpos de suas vítimas

Identificado como Juan Carlos, homem confessou ter matado 20 mulheres com a ajuda da esposa, Patricia.

Promotoria do Estado do México havia publicado anúncio procurando o casal suspeito do desaparecimento de uma mulher, mas acabou descobrindo que eles podem estar por trás de pelo menos dez assassinatos

Um casal preso no México transportando corpos humanos em um carrinho de bebê é suspeito de matar ao menos dez mulheres e de vender pedaços das vítimas.

"São fatos inéditos, nunca havíamos nos deparado com tal coisa antes", disse o promotor do Estado do México Alejando Gómez Sánchez, que classificou os casos como "feminicídios em série", uma vez que as investigações indicam que a maioria das vítimas era de mulheres.

Foram encontradas quatro bolsas de plástico com restos humanos no apartamento do casal, identificado como Juan Carlos e Patricia, em um terreno baldio e em outra propriedade próxima.

Para os investigadores, a dupla também guardava corpos das vítimas em cubos cheios de cimento, em baldes e em um frigobar e os vendia. Ainda não está claro quem os comprava.

Depois de ter sido detido na quinta-feira, Juan Carlos confessou ter matado 20 mulheres no município de Ecatepec, na região metropolitana da Cidade do México.

Os feminicídios são comuns no México, mas muitas vezes acabam impunes. A confissão do casal deixou o país indignado e motivou protestos nas ruas de Ecatepec.

Os vizinhos afirmaram que toda vez que viam Juan Carlos e Patricia eles estavam empurrando um carrinho de bebê, o mesmo em que a polícia encontrou as partes dos corpos das vítimas.

A polícia prendeu os dois depois do desaparecimento, em setembro, de Nancy Huitron, de 28 anos, e de sua filha, de apenas dois meses de idade, Valentina.

Fonte: Foto: Promotoria Estado do México / BBC News Brasil