Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 2/01/2019 as 3:00pm

Com saída da UE, milhares de britânicos querem se tornar irlandeses

A poucos meses da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), cidadãos britânicos procuram...

Com saída da UE, milhares de britânicos querem se tornar irlandeses Com saída da UE, milhares de britânicos querem se tornar irlandeses

A poucos meses da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), cidadãos britânicos procuram garantir passaportes de países que vão permanecer no bloco, entre eles a Irlanda.

Com um total de mais de 183 mil pedidos, o número acumulado em 2018 atingiu novo recorde, informou o Departamento de Estado Irlandês. Quase 85 mil desses pedidos foram apresentados na Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido – 2% a mais do que no ano anterior. No restante do Reino Unido, foram 98.500 pedidos - um aumento de 22% em relação ao ano passado.

Em 2017, o número de pedidos de cidadania irlandesa apresentados na Irlanda do Norte e no Reino Unido já havia registrado aumento de 20% em relação a 2016, o ano em que o Brexit foi aprovado em referendo.

Qualquer pessoa nascida na Irlanda ou Irlanda do Norte, ou cujos pais ou avós sejam originários da Irlanda pode solicitar um passaporte irlandês. O ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, mostrou satisfação com o aumento no número de pedidos. "O passaporte irlandês é um documento valioso", disse.

O Reino Unido deve deixar a União Europeia no final de março de 2019, segundo o resultado do referendo do Brexit em 2016. Não está claro se o parlamento em Londres ainda vai conseguir aprovar o acordo de saída negociado pela primeira-ministra Theresa May com a UE. Caso a saída ocorra sem aprovação de um acordo, existe a possibilidade de um Brexit "duro", que pode ter consequências caóticas.

Na Alemanha, o número de britânicos naturalizados aumentou de maneira acentuada recentemente - 7.493 britânicos solicitaram um passaporte alemão em 2017, o maior número já registrado. A maioria dos solicitantes era de pessoas que fugiram para o Reino Unido durante o regime nazista. Para se naturalizar, elas contam com autorização especial para repatriamento, que consta no Artigo 116 da Lei Fundamental, a Constituição alemã.

Fonte: Por Agência Brasil*  Brasília (*Deutsche Welle, agência pública de notícias da Alemanha)

Top News