Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 7/01/2019 as 11:00am

Após prisão por estelionato, brasileiros vão ser entregues ao ICE

O jornal Brazilian Times divulgou no final de dezembro a prisão dos irmãos brasileiros...

Após prisão por estelionato, brasileiros vão ser entregues ao ICE Henrique e Gustavo moravam em Portugal antes de se mudarem para os EUA

O jornal Brazilian Times divulgou no final de dezembro a prisão dos irmãos brasileiros Henrique Teixeira Mendes de Almeida, de 29 anos, e Gustavo Teixeira Mendes de Almeida. Eles foram presos por agentes do Departamento de Polícia de Wilmington, na Carolina do Norte, e ambos são registrados como residentes na Flórida.

Conforme a notícia divulgada, eles são acusados de montar um esquema internacional que visava fraudar a rede de lojas de departamentos Belk, com sede na Carolina do Norte.

A prisão aconteceu em 18 de dezembro e depois de algumas investigações, a polícia divulgou que vasculharam um carro alugado pelos suspeitos e encontraram 94 cartões de crédito, 102 cartões magnéticos de brindes da Belk valendo US$ 300 cada, dezenas de mercadorias da Belk, uma máquina de leitura de cartões, além de uma lista dos endereços das filiais da Belk na região sudeste.

A lista continha nomes de várias filiais já riscados, o que indicava que os brasileiros já teriam ido a estes locais. Eles vai responder por 21 acusações de fraudar equipamentos eletrônicos e uma tentativa de obter propriedade alheia através de mentira.

De acordo com o Departamento de Polícia, um agente especializado na prevenção de prejuízos foi quem denunciou o esquema ao serviço de emergências 911, após reconhecer os irmãos através de um comunicado que circulou nas filiais da loja de departamentos. Tal comunicado alertava sobre os dois indivíduos e os agentes prenderam os dois suspeitos na filial da Belk em Mayfaire.

Ainda conforme as investigações, Henrique e Gustavo também portavam passaportes de diversos países e cédulas de identidade (ID) com informações e nomes diferentes. Um porta-voz do WPD que os irmãos chegaram aos EUA oriundos de Portugal.

As autoridades detalharam que, embora os cartões tivessem em nome deles, as tarjas magnéticas estavam relacionadas com informações roubadas de cartões bancários de diversas partes do mundo. Os brasileiros teriam usado essas informações roubadas para comprar cartões magnéticos de presente (gift cards) nas lojas da Belk e, então, utilizavam esses cartões para comprar mercadorias. Posteriormente, eles enviavam as mercadorias compradas a Coral Springs (FL), onde eles as vendiam no mercado negro internacional.

Henrique e Gustavo foram autuados e enviados à Penitenciária do Condado de New Hanover, sob a fiança de US$ 125 mil cada.

O WPD informou que o Serviço Secreto, FBI, ICE, Departamento de Polícia de Charlotte-Mcklenburg e o Departamento de Polícia de Coral Springs ajudaram na investigação.

Fonte: Redação - Brazilian Times