Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 11/01/2019 as 5:00pm

Pelo menos 20 corpos são descobertos mortos e queimados na fronteira

Pelo menos 20 pessoas foram encontradas mortas perto da fronteira entre os Estados Unidos com o...

Pelo menos 20 corpos são descobertos mortos e queimados na fronteira Região é dominada pelo medo

Pelo menos 20 pessoas foram encontradas mortas perto da fronteira entre os Estados Unidos com o México, próximo ao Texas, de acordo com autoridades que culpando uma disputa entre gangues rivais.

Segundo as informações, dos corpos encontrados, 17 deles foram queimados. Um funcionário anônimo disse a Associated Press disse que os corpos foram encontrados perto de vários veículos danificados pelo fogo.

O presidente mexicano, Andres Manuel Lopez Obrador, disse que as mortes parecem ter sido parte de uma disputa entre gangues e possivelmente não tem nada a ver com questões imigratórias. Mas as investigações continuam.

Os corpos foram encontrados em Miguel Aleman, em Tamaulipas, um estado conhecido por ser uma região por onde passam grandes remessas de drogas para os EUA. A área em torno de Miguel Aleman havia sido dominada pelo cartel de drogas Zetas, após uma batalha com o cartel do Golfo pelo controle dos vários empreendimentos criminosos locais. Centenas de corpos foram encontrados nos últimos anos, muitos dos quais foram despejados em sepulturas em massa.

O cartel Zetas, desde então, se fragmentou, e as mortes em Miguel Aleman parecem ter resultado de uma disputa entre o cartel do Golfo e uma das facções Zetas, o cartel do Nordeste.

Apesar dos sucessos do governo do México em matar e capturar os principais líderes do cartel de drogas desde que lançou uma guerra contra o tráfico de drogas, em operação patrocinada pelos EUA, em 2006, a violência persiste. O Serviço de Pesquisa do Congresso estima que cerca de 150 mil pessoas foram mortas em violência relacionada a gangues desde 2006.

A maior taxa de homicídios foi registrada em 2017, com quase 29 mil pessoas assassinadas no México. No entanto, espera-se que as estatísticas de 2018 vejam esse aumento reduzir. No primeiro semestre do ano passado, o México teve um salto de 16% nas taxas de homicídios do mesmo período de 2017.

A segurança nas fronteiras tornou-se uma grande preocupação para a Casa Branca desde que Donald Trump foi empossado em 2016. O presidente dos EUA tem repetidamente desacreditado os migrantes e requerentes de asilo como uma ameaça à segurança nacional.

A mais recente paralisação do governo dos EUA está centrada no pedido de US $ 5,7 bilhões para o financiamento de um muro na fronteira com o México, que os democratas disseram que não vão sancionar. Faz parte de uma série de políticas duras que a administração Trump promulgou. Por exemplo, aqueles que buscam asilo são obrigados a permanecer no México enquanto sua solicitação está sendo revisada - colocando-os em risco de serem mortos por parte de grupos criminosos que dominam a área.

Várias caravanas de imigrantes de regiões afetadas por violência de gangues, além de tráfico de drogas e de seres humanos chegaram à fronteira nas últimas semanas, algumas delas com mil ou mais pessoas.

Segundo a Comissão Nacional de Direitos Humanos do México, o tráfico de pessoas pode render a essas gangues até US $ 50 milhões por ano.

A preocupação é que com o domínio crescente do tráfico na região, estes imigrantes possam se torna vítimas de traficantes.

Fonte: Redação - Brazilian Times