Publicado em 1/06/2008 as 12:00am

Gravação entrega assassino de menina morta há 27 anos

Uma gravação musical delatou o seqüestrador e assassino da menina Ursula Hermann, 27 anos após cometer o crime, que comoveu a opinião pública alemã, pois a menina, de 10 anos, foi enterrada viva em um caixão no qual morreu asfixiada.

Os investigadores encarregados do caso anunciaram hoje que na casa do suspeito, um homem que tem agora 58 anos, foi encontrada uma fita com a gravação da melodia que o seqüestrador colocava como som de fundo a cada vez que conversava com os pais da menina ao telefone.

O homem, que foi detido na localidade de Kappeln, no Estado alemão de Schleswig-Holstein, fazia parte do círculo de suspeitos de ter seqüestrado Úrsula em Eching am Ammersee, perto de Augsburgo, na região da Baviera.

O seqüestro aconteceu em 15 de setembro de 1981, quando a menina, filha de um casal de professores de uma escola pública, voltava para casa de bicicleta após uma aula de ginástica.

A menina foi trancada em um caixão de madeira, o qual o seqüestrador enterrou a um metro e meio de profundidade em uma floresta. A menina morreu asfixiada depois que a folhagem úmida cobriu a última passagem de ar.

O corpo foi encontrado 19 dias depois do desaparecimento, após uma intensa busca, e depois que o seqüestrador suspendeu o contato com os pais.

O suposto seqüestrador e assassino foi localizado durante as investigações de outro crime no qual foi encontrada a mesma pista genética que os oficiais que cuidaram do caso da morte de Úrsula tinham conseguido isolar de uma porca do caixão no qual a menina tinha sido enterrada viva.

Há 27 anos, a Polícia tinha investigado sem sucesso 15 mil suspeitos e 11 mil veículos, coletado mais de 20 mil impressões digitais e realizado mais de 40 mil investigações. Foram seguidas mais de três mil pistas e efetuadas 100 perícias, que resultaram em 300 pastas de relatórios sobre o caso.

Fonte: (TIOSAM.COM)