Publicado em 16/11/2008 as 12:00am

'Ele disse que tem de se adaptar à nova vida', lamenta mãe de brasileiro baleado

Estudante de 24 anos foi baleado no rosto no Canadá e pode ficar cego. Família quer ajuda do governo canadense para conseguir viajar

A família do estudante brasileiro que foi baleado em Calgary, no Oeste do Canadá, está perplexa com a notícia de que o jovem poderá ficar cego. José Ribamar Ribeiro Neto, de 24 anos, foi atingido no rosto por uma bala perdida ao passar perto do local onde acontecia uma briga de gangues.

A mãe de Neto, Maria Tereza Ribeiro, de 43 anos, disse ao G1 que o filho está internado, mas consciente e já sabe da gravidade de seu estado. “Ele disse que tem de se adaptar à nova vida. É um menino muito forte, calmo e sensato. Está preocupado em confortar as pessoas que estão sofrendo por ele”, lamenta Maria. “Mas está sendo horrível para nós, todo mundo ficou arrasado.”

Enquanto a família busca forças para se conformar, tenta resolver os entraves burocráticos para viajar ao Canadá. A mãe está preocupada porque não sabe se conseguirá arcar com os custos da viagem, mas quer ficar com o filho durante o período de internação.

“Eu estou desesperada. Gostaria que eles pagassem a minha viagem e liberassem logo o visto, porque eu não posso deixar meu filho lá, mas não tenho condições de ir. Parece que eu ainda vou ter que ir para Brasília tirar o visto. Eles deveriam liberar minha viagem, porque é uma emergência, eu não vou a passeio”, diz Maria Tereza, que contou ter sido procurada pelo consulado do Canadá, que apenas lamentou o ocorrido.

Com o tiro, Neto perdeu um olho. Segundo a família, ele será submetido a uma operação nesta sexta-feira (19) que pode determinar se ele poderá voltar a enxergar com o outro olho. “Pelo amor de Deus, uma pessoa perder uma visão dessa maneira, sem ninguém da família. O hospital que ele está é muito bom, mas ele está sozinho. Quero ir para lá”, diz a mãe.

Nunca sofreu violência no Brasil
Ela contou que o filho disse que jantou perto de casa.
Quando saiu do restaurante com a namorada, foi surpreendido pela briga de duas gangues. “Ele disse que de repente teve um tiroteio, mas nem viu, porque foi muito rápido”, diz Maria Tereza.

Por ironia do destino, Neto foi vítima de uma bala perdida em um país conhecido por sua qualidade de vida e segurança. Mesmo em Fortaleza, ele nunca foi vítima de violência e, segundo a família, jamais tinha sido sequer assaltado.

“Foi uma fatalidade. Nós nunca imaginamos que isso pudesse acontecer no Canadá. É incrível, porque nós achamos que ele estava super bem, super seguro”, afirma Maria Tereza.

Neto estava no Canadá há cerca de seis meses para estudar inglês. Segundo a mãe, ele gostava muito do país, mas deverá voltar ao Brasil assim que receber alta. 

Fonte: (G1)