Publicado em 24/12/2008 as 12:00am

Aumenta o número de crimes raciais nos EUA

Latinos são os principais alvos das gangues que perseguem imigrantes

O assassinato do brasileiro Júlio César de Oliveira, morto na Louisiana provavelmente por uma gangue que persegue imigrantes, não foi o único caso de crimes cometidos contra estrangeiros nos últimos meses nos Estados Unidos. Na verdade, os ataques contra latino-americanos aumentou 40% de 2003 a 2007, de acordo com um informe de novembro do FBI, a polícia federal americana. “Os ataques por ódio racial contra a comunidade latina assumiram caráter de crise nacional”, denunciou o presidente do Fundo Mexicano-Americano para Defesa Legal e Educacional (Maldef, na sigla em inglês), John Trasviña. Segundo ele, foram registradas mais de três mortes de latinos nos últimos cinco meses.

“Esta é uma epidemia nacional cujo crescimento diário está sendo promovido por declarações de ódio e manifestações antiimigrantes expressas por programas de televisão e rádio”, acrescentou Trasviña, logo após tomar conhecimento da morte cerebral do equatoriano José Osvaldo Sucuzhañay, que foi golpeado em New York por um grupo de sete mascarados com tacos de baseball e garrafas. Em novembro, outro equatoriano, Marcelo Lucero, sofreu nas mãos de outra gangue, mas sobreviveu. Em julho, o mexicano Luis Ramírez não teve a mesma sorte: perdeu a vida depois que adolescentes o atacaram, na Pensilvânia.

Os ativistas da Maldef atribuem o aumento dos crimes raciais contra latinos à intensificação das medidas contra os indocumentados por parte do governo. “O tema imigração está sendo contaminado pelo ódio e este clima demonstra intolerância e vai de encontro aos direitos civis”, disse Trasviña. Ele pretende encaminhar uma proposta ao presidente-eleito, Barack Obama, de criar uma lei nacional para combater estes atos de violência.

Fonte: (acheiUSA)