Publicado em 10/02/2009 as 12:00am

Substituta de Hillary Clinton causa polêmica

De acordo com observadores nacionais e raposas felpudas que sempre nos informam sobre as fofocas de Washington, havia um zum zum zum bem alto no setor de imigração a respeito de Kirsten Gillibrand

Por Phydias Barbosa


De acordo com observadores nacionais e raposas felpudas que sempre nos informam sobre as fofocas de Washington, havia um zum zum zum bem alto no setor de imigração a respeito de Kirsten Gillibrand. Ela pegou o “assento” que pertencia à ex-senadora Hillary e era conhecida por ser totalmente contra a migração de estrangeiros para os EUA.

            Havia até uma certa satisfação por parte de políticos e lobistas “linha dura”, com a expectativa de que ela seria uma aguerrida lutadora contra a imigração ilegal. Agora, Ms. Gillibrand aparece como “covarde” para aqueles que aguardavam suas canetadas contra os aliens. 

Ela apareceu até na Univision (TV Hispana) dando entrevista pró-imigrantes, com apenas 10 dias depois de sentar na “cadeira” da Hillary. Encontrou-se com grupos hispânicos que lutam pela emancipação dos “alienígenas ilegais” e mudou completamente seu tom, cá prá nós, extremamente benvindo.

A Senadora culpou sua falta de conhecimento do problema da imigração ilegal por ser uma residente do estado de Nova York sem as informações corretas em mãos. “Finalmente, me mostraram a luz”, ela disse, e acrescentou que está a “favor do fim das deportações e pelo fim da aplicação de leis severas contra os imigrantes”.

O leitor deve estar achando incrível essa mudança de comportamento, mas no fundo isso não deveria causar surpresas, pois alguns senadores tem se apresentado de forma diferente na última década, algumas vezes mudando de opinião para “fechar” certos acordos.  Finalmente, o Senado passou a compreender que não deveria viver com a visão elitista de que sabe mais do que todo mundo e de que conhece de perto o que o povo Americano de fato deseja.

Segundo observadores e blogueiros políticos aboletados ao lado do poder, não é nada chocante que a Senadora tivesse logo fechado com a linha de atuação do partido Democrata, a fim de continuar costurando sua carreira, mesmo que isso represente desistir de alguns de seus pontos de vista pessoais.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )