Publicado em 21/08/2009 as 12:00am

OMS avalia que pior de nova gripe ainda pode estar por vir

É preciso se preparar para segunda ou terceira onda, diz diretora. Quadro clínico, no entanto, é 'majoritariamente tranquilizador'.


A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, advertiu nesta sexta-feira (21) que o pior da pandemia da nova gripe pode estar por chegar, e disse que a comunidade internacional deve estar preparada para enfrentá-lo. "Não podemos dizer se o pior passou ou se o pior ainda está por chegar", disse Chan, em mensagem de vídeo divulgada nesta sexta em um simpósio sobre a nova gripe realizado em Pequim.


"Devemos nos preparar para uma segunda, ou inclusive uma terceira, onda do vírus, como ocorreu em pandemias passadas", advertiu a responsável da OMS.


Segundo a agência de saúde pública das Nações Unidas, cerca de 1,8 mil pessoas morreram no mundo desde a explosão da doença, em abril, e, embora Chan tenha ressaltado que "o quadro clínico (dos casos) é majoritariamente tranquilizador (por serem leves)", existem grupos de risco nos quais a doença é mais grave.


Quem toma vacina primeiro

"Devemos tratar o assunto da vacina pandêmica, e devemos recolher informação sobre quais são os grupos prioritários que devem ser protegidos", disse Chan. A responsável da OMS afirmou que "essa é uma das decisões mais difíceis que os Governos terão de adotar, especialmente sabendo que o fornecimento será extremamente limitado durante alguns meses".


A diretora citou as mulheres grávidas, que "enfrentam um risco maior de complicações, sem dúvida nenhuma". Também disse que "um quadro clínico mais severo é observado em pessoas com doenças como asma e outros males respiratórios, assim como doenças cardiovasculares, diabetes, desordens autoimunes e obesidade".


Ela advertiu que, "mesmo que o vírus não sofra mutação", pode tornar-se mais grave se "a epidemiologia mudar para um grupo de idade mais elevado, onde as complicações são mais frequentes", disse, após lembrar que, até agora, a nova gripe afeta mais grupos jovens.

Fonte: (G1)

Top News