Publicado em 21/09/2009 as 12:00am

Empregos são insuficientes, diz Obama

"É bem possível que a oferta de empregos não melhore e pode até ficar pior nos próximos meses", disse Obama em entrevista à CNN na manhã de domingo, 20

 

Na entrevista à CNN, o presidente concluiu que devem ser criados 150 mil empregos por mês, mas afirmou: “Não haverá criação de novos empregos até o ano que vem”. “E o que for criado de empregos não será o bastante para atender à crescente população”.

As vendas no varejo, entretanto, têm crescido em ritmo mais acelerado e há sinais de que a economia está se recuperando. Em agosto, a atividade manufatureira no Estado de Nova York atingiu a maior alta em quase dois anos.

Ben Bernanke, o chairman do Federal Reserve, afirmou em 15 de setembro que a pior recessão dos EUA desde a Grande Depressão da década de 1930 provavelmente tinha terminado, mas a recuperação seria lenta e levaria tempo até mais postos de trabalho serem criados. ”Ficará para ele dizer se a recessão está terminando ou não”, disse Obama na entrevista.


Com popularidade em baixa, afetada em meio ao debate sobre o novo plano de saúde e à reforma da imigração, o presidente procurou, nas últimas semanas, reforçar os sinais de melhoria na economia.

Obama declarou que os números de empregos tendem a ser o último passo da recuperação econômica. "O outro problema é que perdemos tantos empregos, que compensar aqueles que já estavam perdidos vai exigir taxas de crescimento realmente altas", disse.

Em seu depoimento, o presidente disse também que os mercados financeiros estão trabalhando firme e que a indústria acelerou a produção no último mês. "Todos os sinais são de que a economia vai começar a crescer de novo".

 


 

Fonte: (Do site da Reuters, adaptado por Phydias Barbosa)