Publicado em 2/11/2009 as 12:00am

Indústria dos EUA cresce acima do esperado em outubro

Índice de atividade chegou a 55,7 pontos, o mais alto desde abril de 2006. Indicador de emprego também saltou no mês.


O setor manufatureiro norte-americano cresceu pelo terceiro mês consecutivo em outubro a uma taxa mais rápida do que a esperada, de acordo com dados da indústria divulgados nesta segunda-feira (2).

Segundo o Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês), o índice de atividade manufatureira passou para 55,7 pontos em outubro, ante 52,6 pontos em setembro. A média das previsões de 74 economistas apurada em uma pesquisa da Reuters indicava 53 pontos.

A leitura feita em outubro foi a mais alta desde os 56 pontos vistos em abril de 2006. Uma leitura acima de 50 pontos indica expansão do setor, enquanto um número abaixo disso revela contração.

O ISM informou também que o índice de emprego para a indústria saltou para 53,1 pontos em outubro, ante 46,2 pontos atingidos no mês anterior. O índice de emprego não ficava acima de 50 pontos desde julho de 2008, quando atingiu 51 pontos.

Construção

Outro dado divulgado sobre o país nesta segunda, mostra que os gastos com construção tiveram a maior alta em um ano, referente ao mês de setembro, informou o Departamento do Comércio. O resultado foi impulsionado por um ritmo recorde em obras públicas e pela maior expansão em mais de seis anos nas construções privadas residenciais.

O Departamento do Comércio disse que os gastos com projetos de construção subiram 0,8%, para US$ 940,3 bilhões, após recuarem 0,1% em agosto. O dado de agosto foi revisado de uma alta inicialmente calculada em 0,8%. 

Quanto às vendas de residências nos Estados Unidos também subiram inesperadamente em setembro, para o maior nível em quase três anos. A Associação Nacional de Corretores disse que o seu índice de vendas pendentes de casas, baseado nos contratos assinados em setembro, aumentou 6,1%, a 110,1 pontos - o maior patamar desde dezembro de 2006. Foi o oitavo mês seguido de alta. 

Encontro do banco central do país

O Federal Reserve (Fed, banco central americano) se reúne nesta terça e quarta-feira (3 e 4) para analisar e fazer ajustes na recuperação da economia do país, mas não deve fazer alterações em taxa de juros, atualmente de quase zero por cento. 

Quase 100% dos investidores aposta na manutenção das taxas nesta reunião, sem que se desenhe nenhuma previsão de aumento pelo menos até a de junho de 2010.

Segundo dados divulgados pelo governo do país na semana passada, os Estados Unidos saíram tecnicamente da recessão, com uma taxa de crescimento de 3,5% a ritmo anual no terceiro trimestre.

Fonte: (G1)