Publicado em 4/12/2009 as 12:00am

Napolitano afirma que Al-Qaeda ameaça os EUA

"Seguidores da Al-Qaeda estão dentro dos Estados Unidos e querem atacar alvos aqui e em outros países", disse a Secretária de Segurança Territorial, Janet Napolitano, na quarta-feira, 2 de dezembro.

 

“Seguidores da Al-Qaeda estão dentro dos Estados Unidos e querem atacar alvos aqui e em outros países”, disse a Secretária de Segurança Territorial, Janet Napolitano, na quarta-feira, 2 de dezembro.

Os comentários da secretária foram ríspidos, na sua avaliação sobre ameaças de terror dentro do país. Ela deu esse depoimento apenas um dia depois do presidente Obama anunciar sua decisão de enviar mais 30.000 soldados para o Afeganistão. Ms. Napolitano advertiu que os extremistas têm sido "enviados aqui da região da fronteira do Afeganistão e do Paquistão, para cometer mais atos de terror”.


Dirigindo-se à Associação Amigos dos EUA e Israel  (American Israel Friendship League), em Nova York, Napolitano disse que uma série de recentes prisões nacionais deveriam "tirar da cabeça qualquer noção de zona de conforto que muitos possam ter, a partir da ideia de que se combatermos os terroristas em seus próprios países, não vamos ter de lutar com eles aqui”, referindo-se a  um argumento defendido diversas vezes pelo ex-presidente George W. Bush.

"O fato é que o terrorismo doméstico está aqui. E com o extremismo violento no exterior, isso agora faz parte do quadro de ameaças que devemos enfrentar", disse Napolitano. "Os indivíduos simpáticos à Al-Qaeda e suas afiliadas, bem como aqueles inspirados pela sua ideologia, estão presentes nos EUA, querem atacar nosso território  planejam mais ataques em outros países".

 

 

 

 

Napolitano citou o caso de Najibullah Zazi, motorista de uma empresa de Shuttle do aeroporto de Denver, preso em setembro, depois de supostamente treinar com a Al-Qaeda no Paquistão.

Zazi supostamente teria testado bombas caseiras,  confeccionadas idênticas às que foram utilizadas nos ataques de 2004 no trânsito de Madrid, Espanha. Ele enfrenta acusações de “conspiração com armas de destruição em massa”.

Em outro caso, promotores americanos acusaram  David C. Headley, um empresário de Chicago, de conspirar com os membros do Lashkar-i-Taiba, um grupo de extremistas islâmicos do Paquistão, aliado à Al-Qaeda, que planeja ataques na Dinamarca e na Índia.

Um oficial de contraterrorismo disse que “Zazi” é "o primeiro caso concreto", desde os ataques de 11 de setembro de 2001, no qual terroristas da Al-Qaeda enviaram agentes para um ataque dentro do país.


 

Fonte: (do Washington Post, tradução: Phydias Barbosa)