Publicado em 12/03/2010 as 12:00am

Sheriff do condado de Jackson não quer mais detentos

Presos sem fiança, encarcerados pelo governo federal, já contam 10 por cento da população da cadeia do condado de Jackson, número que tem se mantido

 

Presos sem fiança, encarcerados pelo governo federal, já contam 10 por cento da população da cadeia do condado de Jackson, número que tem se mantido constante nos últimos cinco anos, segundo o xerife local, Mike Winters.

23 dos 230 detentos estão “marcados” sem fiança pelos agentes de Imigração e Alfândega.

Winters disse que a quantidade de presos é administrável com o atual staff da prisão, mas um aumento poderia criar problemas no futuro, se mais imigrantes ilegais forem presos no estado.

"Lidamos com isso duma forma efetiva neste momento, mas será difícil, caso o número de presos pelo ICE aumente, e creio que isso pode até duplicar nos próximos anos", disse Winters.

As pessoas presas sob suspeita de estarem ilegalmente no país, apresentam problemas para as prisões do condado, porque esses suspeitos não são geralmente libertados sob fiança. Eles precisam comparecer ao tribunal numa data posterior.

A porta-voz do ICE, Lorie Dankers, disse que os tribunais estaduais podem conceder fiança a imigrantes ilegais suspeitos, mas a pessoa seria imediatamente levada sob custódia pelo ICE, após ficar livre de uma prisão do condado. "Uma vez fixada a fiança, poderíamos transportá-los para o nosso centro de detenção em Tacoma," Dankers afirmou.

"Eles poderiam esperar até à data do tribunal para enfrentar as acusações”. “Mas”, afirmou, “isso acabaria por custar aos bolsos dos contribuintes, pois haveria um constante movimento de suspeitos ilegais através de longas distâncias”.

A prisão de Jackson County Jail já teve cerca de 400 solturas em um mês, por causa da sua superlotação. Esse número caiu significativamente nos últimos cinco anos, permitindo a prisão de um maior número de presos sem fiança, pela imigração, sem que suspeitos criminosos de outros delitos - ou "passageiros frequentes" - fiquem livres, disse Winters.

"Até agora este ano, tivemos apenas 200 liberdades forçadas", disse Winters. "Eram pessoas que estavam sob custódia por furtos e outros crimes menores”.

Desde que a agência passou a se concentrar em manter criminosos atrás das grades, até as suas datas de aparição na corte, os números da liberação forçada caíram.

"Também temos trabalhado muito mais de perto nos últimos anos com a Jackson County Community Justice, para manter atualizada nossa informação a respeito das pessoas acusadas de crimes e que são autorizadas a permanecerem livres, até suas respectivas datas de aparição na corte", disse Winters. "Isso mantém espaço livre na prisão para um maior numero de infratores graves".

Na medida em que o ICE não se envolve com crimes estaduais e locais, cabe aos presídios do condado abrigar os imigrantes ilegais, suspeitos ou acusados de crimes como venda e entrega de drogas, violência doméstica e até assassinatos.

Dankers disse que sabe da frustração dos simpatizantes da reforma da imigração, que acreditam e defendem que o ICE deve deportar os imigrantes ilegais imediatamente após terem sido presos por um crime.

"Eles acham que isso vai poupar o dinheiro dos contribuintes e, provavelmente têm razão, mas depois estes criminosos seriam logo liberados em seus países de origem e não seriam responsabilizados por seus crimes nos Estados Unidos", disse Dankers. "Acho que os cidadãos americanos querem que os criminosos paguem por suas ações a nível local".

Uma vez que um imigrante ilegal serve a totalidade da sua pena de prisão, o ICE manda o suspeito a um centro de deportação, para que voe de volta para seu país.

O ICE reembolsa as agências do condado, pelo espaço usado para a prisão de imigrantes ilegais, cujos casos foram julgados e que estejam à espera de transporte para um centro de detenção da imigração.

Fonte: (tradução: Phydias Barbosa)

Top News