Publicado em 7/07/2011 as 12:00am

Paquistão faz mulheres de Bin Laden esperarem na prisão

As mulheres e filhos de Osama bin Laden, que estão detidos no Paquistão, só serão repatriados quando tiverem autorização de uma comissão governamental que investiga a morte do ex-líder da Al Qaeda, segundo nota divulgada pela própria comissão nesta terça-

Três mulheres e vários filhos de Bin Laden foram detidos depois da morte do terrorista

As mulheres e filhos de Osama bin Laden, que estão detidos no Paquistão, só serão repatriados quando tiverem autorização de uma comissão governamental que investiga a morte do ex-líder da Al Qaeda, segundo nota divulgada pela própria comissão nesta terça-feira (5), após a sua primeira reunião

Dezesseis pessoas, inclusive três mulheres e vários filhos de Bin Laden, foram presas pelas forças paquistanesas depois que soldados dos EUA mataram o militante de origem saudita em 2 de maio, na localidade de Abbbottabad.

As autoridades locais já haviam dito que as mulheres - uma iemenita e duas sauditas - serão repatriadas. Mas, em nota, a comissão disse ter orientado o Ministério do Interior e o ISI (serviço de inteligência) a aguardar sua autorização para isso.

O governo criou essa comissão de investigação, comandada por um juiz de alto escalão, no mês passado, em resposta a indignação popular com a ação militar norte-americana, vista por muitos no país como uma violação à soberania paquistanesa.

O Paquistão, no entanto, tem um longo histórico de inquéritos sem resultados, às vezes devido a interferências do próprio serviço de inteligência.

Entre as três mulheres presas na casa de Bin Laden em Abbottabad está Amal al Sadah. Inicialmente, Amal foi dada como morta na operação, mas depois ficou esclarecido que ela havia levado um tiro na perna.

Nascida no Iêmen, ela tem hoje 27 anos e é a mulher mais jovem do líder terrorista. Eles se casaram em 2000, quando Amal tinha 17 anos. Segundo a rede americana CNN, ela teve uma filha com Bin Laden, Safia, que nasceu pouco antes dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. A menina disse às autoridades paquistanesas ter visto o pai ser morto a tiros.

Ainda de acordo com a CNN, a segunda mulher que estava no complexo invadido pelas forças americanas era Khairiah Sabar, conhecida como “Um Hamza” por ser a mãe do filho de Bin Laden, Hamza.

Ela nasceu na Arábia Saudita e se casou com o líder da Al Qaeda em 1985. Khairiah fugiu com Bin Laden para o Afeganistão depois do 11 de Setembro.

A terceira mulher é Siham Sabar, conhecida como “Um Khalid” por ser a mãe de outro filho do terrorista, Khalid, morto na operação.
Ela também tem nacionalidade saudita e fugiu com Bin Laden depois do 11 de Setembro.

Fonte: R7.COM.BR