Publicado em 24/07/2011 as 12:00am

Atirador norueguês diz que quis mandar sinal claro ao país

O juiz norueguês Kim Heger decretou a prisão preventiva do atirador Anders Behring Breivik por oito semanas. Durante as primeiras quatro semanas, o acusado ficará em isolamento sem direito nem a receber cartas.

O juiz norueguês Kim Heger decretou a prisão preventiva do atirador Anders Behring Breivik por oito semanas. Durante as primeiras quatro semanas, o acusado ficará em isolamento sem direito nem a receber cartas.

Breivik, que admitiu ser o autor do massacre que deixou 93 mortos na Noruega na sexta-feira (22), foi formalmente acusado por terrorismo.

Apesar de ter confessado o ataque a bomba, em Oslo, e o tiroteio, em Utoeya, Breivik não admitiu culpa criminal, já que disse que seu objetivo era o de salvar a Noruega e a Europa do "marxismo cultural".

"O objetivo do ataque foi o de dar um sinal claro às pessoas", afirmou Breivik, à Justiça, dizendo também que o Partido Trabalhista traiu o país ao permitir a imigração de muçulmanos e pagou o preço.

Por causa do depoimento de Breivik, a polícia irá investigar se o atirador trabalhou com "duas outras células em nossa organização", conforme o acusado disse à Justiça.

Breivik compareceu à corte de Oslo pela primeira vez nesta segunda-feira (25). O acusado chegou em um Volvo preto, diante de uma multidão que se aglomerou na porta do tribunal. Conforme o carro foi tentando entrar no prédio, várias pessoas começaram a gritar "traidor".

Segundo uma testemunha, Breivik estava sentado no banco de trás do veículo. Alguns jovens tentaram balançar o carro e um afirmou à agência Reuters que "todos querem ver o atirador morto".

De acordo com a TV NRK, os jovens revoltados não têm ligação com as vítimas de Utoeya, mas são moradores de Oslo indignados com o massacre. "Ninguém destrói a cidade que nós amamos e sua população", afirmou uma rapaz.

Fonte: UOL.COM.BR