Publicado em 11/08/2011 as 12:00am

Americano que puxa aviões diz que brasileiro pode brilhar no "Mais forte do mundo"

Ele é capaz de puxar um avião de grande porte com uma corda amarrada no tronco e, como se fosse uma brincadeira, de transformar uma frigideira em um "rolinho". O norte-americano Derek Poundstone está no Brasil para participar de um evento em São Paulo a p

Ele é capaz de puxar um avião de grande porte com uma corda amarrada no tronco e, como se fosse uma brincadeira, de transformar uma frigideira em um “rolinho”. O norte-americano Derek Poundstone está no Brasil para participar de um evento em São Paulo a poucas semanas da disputa do "The World’s Strongest Man" (O Homem Mais Forte do Mundo), popular evento em que é um dos favoritos.

Poundstone atendeu a reportagem do UOL Esporte um dia antes da apresentação desta quinta-feira em São Paulo e disse que espera que o Brasil tenha em breve um representante na elite do evento, que há 34 anos apura qual homem mais forte do planeta através de provas de potência com pneus, correntes, carroças, etc.

No entanto, o norte-americano diz que a genética pode pesar contra o país, levando em conta a supremacia histórica nas competições desta natureza de países como Polônia, Rússia e Lituânia, com seu biotipo comum de grandalhões.

"Existem muitos atletas do Leste Europeu que se destacam. Nos últimos anos os americanos também. Vejo que existe uma questão de genética, como em qualquer esporte, principalmente entre os atletas Top 10. Mas o nosso esporte tem se tornado popular em várias regiões. Sei que também está se tornando popular no Brasil. Em breve poderemos ter um brasileiro se destacando", afirmou o campeão de 29 anos.

O visitante conta que um brasileiro já tem se arriscado entre as feras do “O Homem Mais Forte do Mundo”. Em 2009, Ricardo Fort apareceu na competição realizada em Malta pedindo para participar mesmo sem estar inscrito. No ano seguinte, participou da fase preliminar na África do Sul. “Ele se saiu bem”, diz.

No Brasil para atuar como garoto-propaganda de um conceito de treinamento que prega o uso de proteínas de soja na recuperação de músculos (combinada com outros tipos de proteína), Poundstone fará apresentação nesta quinta em que deverá quebrar ao meio um martelo de construção civil: “é o mais forte que o dinheiro pode comprar”. Além disso, vai enrolar um frigideira como se fosse um rocambole e promete rasgar ao meio uma lista telefônica.

Fonte: UOL.COM.BR