Publicado em 14/02/2012 as 12:00am

TV norte-americana grava documentário sobre ETs no Sul de MG

A equipe do canal norte-americano National Geographic

A equipe do canal norte-americano National Geographic encerrou nesta sexta-feira (10) no Sul de Minas uma das etapas de gravação de um documentário sobre ufologia que vai ao ar no início do outono nos EUA, em meados de setembro. O grupo com 16 integrantes, entre eles brasileiros e norte-americanos, ficou uma semana captando imagens em Varginha e São Thomé das Letras.

As duas cidades mineiras são famosas por registrar supostas aparições de extraterrestres e discos voadores. Segundo a equipe, chefiada pelo líder mundial do Movimento de Abertura Ufológica, James Fox, a escolha de São Thomé das Letras deve-se às várias fotos divulgadas de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIS).

“Todos da equipe tiveram contato com o pesquisador James Fox. Nós estudamos os casos, analisamos as aparições em vídeos e viemos conhecer esta região que esconde muitos mistérios”, explica o produtor brasileiro da National Geographic Beto Melo, que visitou o Sul de Minas pela primeira vez.

São muitas histórias e em todas elas as pessoas desconfiam de algo, e pensei: alguma coisa tem".

Don Stonyatti, produtor do documentário

O caso mais famoso do Brasil, a aparição do ET de Varginha em 1996, é um dos que serão mostrados no documentário. O produtor norte-americano Don Stonyatti investigou o caso que teve repercussão internacional. “Quando ouvi falar no ET de Varginha realizei muitas pesquisas para apurar o caso. São muitas histórias e em todas elas as pessoas desconfiam de algo, e pensei: alguma coisa tem”, conta.

Stonyatti também ficou impressionado com as construções em pedra em São Thomé das Letras. “Achei muito interessante. Já tinha ouvido falar, mas nunca tinha visto algo parecido”, diz.

Com o fim das gravações no Sul de Minas, o próximo passo das filmagens acontece em São Paulo. “Não podemos revelar o conteúdo das gravações, mas convido a todos para assistir assim que ir ao ar. Vai valer a pena”, afirma Melo. (G1)

Fonte: (DA REDAÇÃO)