Publicado em 12/05/2013 as 12:00am

Turquia diz que comunidade internacional deve agir contra Assad

Ministro disse que está na hora de comunidade agir, após atentandos. Nove pessoas foram detidas na Turquia após o duplo ataque de sábado.


O ministro das Relações Exteriores turco, Ahmet Davutogl, disse neste domingo (12) que está na hora de a comunidade internacional tomar medidas contra o presidente sírio, Bashar al-Assad, após os ataques que deixaram 46 mortos numa cidade turca da fronteira com a Siria neste sábado.

Nove pessoas foram detidas na Turquia após o duplo atentado com carro-bomba qem Reyhanli (sul). Ancara atribuiu a responsabilidade ao regime de Damasco, que negou qualquer envolvimento no ataque.

"Até o momento, nove pessoas foram detidas por sua relação com os ataques, há confissões", anunciou o vice-primeiro-ministro turco, Besur Atalay, em uma coletiva de imprensa transmitida pela rede de televisão NTV.  Segundo a agência France Presse, Atalay ressaltou que os suspeitos pertencem a "uma organização terrorista em contato com os serviços de inteligência sírios".

O ministro do Interior turco, Muamer Guler, já havia assegurado previamente que os autores do duplo atentado estavam vinculados a "organizações que apoiam o regime sírio e os serviços de informação."

Guler disse que o objetivo seria "sabotar o processo de paz em curso" e "provocar tensões entre as pessoas que vivem aqui (em Reyhanli) e os que estão abrigados", em referência aos muitos refugiados sírios que fogem da guerra em seu país.

Ao falar do processo de paz, o ministro turco se referia às negociações levadas adiante há meses entre as autoridades turcas e a rebelião curda do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que começou a retirar suas tropas da Turquia na quarta-feira, três dias antes dos atentados de Reyhanli.

Fonte: www.globo.com